terça-feira, 31 de agosto de 2010

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

vida boa, vida ganha

(o do meio é o presidente da republika)

O melhor jogo do campeonato


Bem, como há tempos não falo nem do meu próprio time e ontem, em meio a uma ressaca avassaladora, consegui ver atentamente a partida, deixo aqui minhas impressões sobre o jogo. Achei uma peleja muito boa, movimentada e cheia de alternâncias (para usar jargões e clichês), muito mais que no placar. Em dez minutos de jogo parecia que o Fluminense ia atropelar. O gol do Gum foi tão na marra que ele cabeceou e ele mesmo pegou o rebote. Logo depois, o Conca quase marcou outro numa jogada rápida.

Enquanto isso, Mariano engolia o velho e enganador Felipe (que de craque só tem o nome) na lateral-esquerda. A situação tava tão feia que, para não substituir o polêmico (ex) jogador, PC Gusmão deslocou-o pouco depois para o meio-de-campo - e, enfim, sacou-o no segundo tempo, depois de outras lambanças.

O Vasco, então, passou a dominar o jogo e Carlos Alberto - que, confesso, nunca achei craque e nem fora de série, em nenhuma de suas passagens pelo Fluminense ou mesmo pelo Corinthians - começou a mostrar a que veio. Não demorou para deixar o Éder Luis na cara do gol, num lance que desconcertou três jogadores do Fluminense. Belo gol do Vasco. Pouco depois, Cazalbé ainda errou um gol incrível na pequena área. Mas continou matando a pau.

No segundo tempo, o Fluzão partiu pro ataque, de novo, de forma bem ostensiva, e perdeu duas boas chances nos primeiros minutos. Washington tem muita vontade e parece dar certo com a camisa do Fluminense. Mas, para mim, ele é banco do Fred. O que não quer dizer que seja um grande problema para o Coração Valente, dado o frequente histórico de contusões do amigo do RMP e também o currículo vasto de cartões amarelos do Sheik Emerson.

Quando parecia ter se acertado em campo, em um lance de contra-ataque, Cazalbé meio que ganhou uma dividida com o Diguinho (que foi mal nesse lance, apesar de vir jogando bem) e, de novo, "deu um gol" para um companheiro seu. Desta vez, foi Fágner quem marcou.

Confesso que nessa hora achei que não ia dar mais. Mas é aí que vi que o time do Flu está realmente centrado - valeu, Muricy!!! A despeito de o gol de empate ter saído em dois erros seguidos de dois cabeças-de-bagre superestimados do Vasco (Felipe e Zé Roberto), o time seguiu jogando bem. Júlio Cesar, o autor do segundo gol, não tem nem de longe a mesma eficiência de Mariano. Mas arriscou com bons chutes e se mostrou presente na área até mesmo em momentos em que não se esperava isso dele.

Deco entrou num momento em que talvez nem fizesse muito sentido estrear, pois o jogo estava tão corrido e disputado que ele, ainda longe da forma física e ideal, poderia trazer mais prejuízos do que dividendos ao Fluzão. Mas nem um nem outro. Se não comprometeu na movimentação - pelo contrário, até deu uns bons dribles e criou espaços pelo meio, facilitando ainda mais as jogadas do time -, errou um gol incrível a alguns minutos do fim. Seria a consagração diante de 80 mil torcedores (triste por saber que este público não se repetirá mais no Brasileirão, a não ser que o Ceará siga nas cabeças por mais tempo) que tinham deixado o Maracanã ainda mais eletrizante. Para fechar o jogo das alternâncias, Carlos Alberto, no último lance da partida, quase marcou um golaço, depois de deixar para trás a defesa do Flu e tocar na saída do FH. Pra nossa sorte, não entrou.

O empate ficou de bom tamanho, afinal de contas, trata-se de um clássico (e não perdemos nenhum dos clássicos jogados no primeiro turno). Não me interessa fazer contas, diferença pro Corinthians, etc. Faltam 23 rodadas ainda. O negócio é acumular pontos e ir cumprindo etapas. Com 33, o Flu só se livra do rebaixamento com 48. Depois a gente parte para uma Sul-Americana e, quem sabe, uma Libertadores. O resto é especulação e mau agouro dos secadores de plantão.

pitacos da rodada

Belo crássico carioca, show da torcida no maraca. Fluzão segue forte na briga do título. Para tanto, basta equilibrar os egos. Ainda acho que o Washington vai ter que sentar no banco. E o Cazalbé hen? Partidaça.

Timão humilhou o tricolinho. É o maior adversário do Flu. No aguardo pelo fator Gornaldo. Ajudará ou atrapalhará? Ou, talvez, seja melhor deixá-lo quieto para ações marketing e eventos sociais...

Observação. São Paulo e Flamengo tentam inovar: fazer um bom campeonato sem técnico. Por enquanto, sem sucesso.

São Paulo: o time tenta se livrar de umas laranjas podres. O problema é que parece ser um balaio inteiro delas.

Luxerlei disse que o Galo evoluiu. Sei...

Avaí tá podendo hein: jogadores reservas contra o poderoso Fogão. O G4 do Brasileirão não é importante para o time catarinense?

Cruzeiro mandou o Adílson embora e contratou o Cuca. Tendência a despencar...

E viva o futebol carioca!

domingo, 22 de agosto de 2010

não basta ser mano, tem que participar

curioso: mano de menezes esteve ontem vendo o fogão
e hoje já estava no pakaembu pro corinthians x são paulo
(ou seja, em um fim de semana, viu mais jogos que o d*nga em quatro anos)

enterrando o brazil

a uma semana do início do mundial, o brazil acumula quatro jogos e quatro derrotas sob comando do magnano, o magnânimo tirano.

alô, db, nosso especialista em garrafão e enterradas (no bom sentido): pra perder com argentino, não era melhor ter ficado com o moncho e perder sob comando de um espanhol?

mais um feito de patricia amorim


"não sei o que aconteceu. eu tinha certeza que ia ganhar e não sei como foi acontecer essa derrota. alguma coisa deu errado nos ultimos meses e vamos ter que rever`

Cesar Cielo, muito frustrado ao ficar com a medalha de prata na sua especialidade, 0s 50m livres.

mais um vice a ser comemorado na gavea em 2010.

um sábado de sol no arpoador


bom morar numa cidade e num país
cujos politics sabem escolher suas prioridades:
rio-2016 é logo ali, pouco depois do brazil-2014

Musa de domingo

Heather Graham

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

pode respirar aliviado, nilton

"o único clube que eu não jogaria no brazil é o vasco"
felipe melo, via twitcam, nessa sexta-feira.
no bate-papo com os fãs, nosso controvertido volante também falou que adoraria voltar ao mengão do coração, mas "infelizmente querer não é poder"

Uma tarde no museu


Vocês todos sabem, longe de ser segredo para alguém, o Sport Club Internacional se sagrou na última quarta-feira bicampeão da Copa Libertadores de América. Venceu heroicamente, de virada, o Chivas Guadalajara, time mexicano que deu um trabalho danado e tornou a conquista ainda mais bonita. Pois bem, pouco mais de um dia após a vitória, já devidamente recuperado da tensão insana provocada pelos pré e pós-jogo, dediquei a tarde para visitar pela primeira vez o recém-inaugurado Museu do Internacional, no Gigante da Beira-Rio.

O dia aprazível e ensolarado do inverno gaúcho me conduziram, pela terceira vez em quatro dias, ao local da mais recente conquista colorada. Acompanhado do amigo Juvenal, avancei as modernas catracas eletrônicas do complexo esportivo do alvirrubro gaúcho e adentrei a um dos museus mais completos do Brasil quando o assunto é a história de um clube brasileiro de futebol. Dediquei boa parte do passeio com a linha do tempo do futebol colorado a partir de 1909, data da fundação, e logo em seguida mergulhei em uma aula de história sobre o time.

O Colorado surgiu após a reunião de amigos e apaixonados por futebol, organizada em uma casa simples de Porto Alegre. O nome saiu de um famoso clube paulista do início do século passado. Os irmãos Poppe tinham deixado a capital paulista rumo ao Rio Grande e um deles havia jogado no tal clube. As cores saíram de um bloco de rua carnavalesco. O Inter quase se viu verde e branco, mas prevaleceram o branco e o vermelho dos Venezianos.
A visita se seguiu com vídeos de gols colorados, salas de trofeus e objetos dos mais importantes para a história de um grande clube. Por ali, conheci a história do Rolo Compressor dos anos 40, o saudoso Estádio dos Eucaliptos, a ousadia em torno de um aterro para a construção do Beira-Rio e um resumo do papel de cada ídolo do Sport Club Internacional. Nomes como Valdomiro, Dallegrave, Carlito, Bodinho, Falcão e tantos outros figuram por ali, além de, claro, jogadores essencias para as conquistas mais recentes do Inter. São elas: duas Libertadores (2006 e 2010) e um Mundial (2006).

Depois de mais de uma hora imerso nas glórias coloradas, é hora de se despedir. Mais uma vez diante da imponente fachada do Beira-Rio, lembro que há dois dias nós, torcedores colorados, comemoramos mais um título cobiçado por qualquer clube de respeito no continente americano. Ali, em pé na arquibancada superior, vi os jogadores vibrarem como crianças com três golaços feitos contra os mexicanos e o capitão Bolivar levantar a taça de campeão da Libertadores 2010. Obrigado, Colorado, por tamanha felicidade.

liberado










Não contratei o Ronaldo para jogar bola.
Contratei para outra coisa e ele está
cumprindo acima do que se esperava.
(andres sanchez, presidente do corinthians paulista)

Triste fim de Policarpo Quaresma...


Ércio Quaresma Firpe, advogado do goleiro Bruno Souza, decidiu partir para o ataque. Quaresma, que atuou em casos de grande repercussão, como o assassinato da missionária Dorothy Stang, morta a tiros em 2005, em que defendeu o fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, apontado como mandante do crime, revela, também, a reação de perplexidade de Bruno diante do posicionamento dos companheiros de time e classifica a diretoria do Flamengo como sem "moral, caráter, decência".

"Conversei com alguns jogadores, não vou citar os nomes, mas parece que existe um manto nefasto sendo jogado sobre eles para que não façam sequer um telefonema ou mandem carta, bilhete...Não é possível que o Bruno seja um ser tão abjeto. Ele está perplexo com a atitude dos companheiros. Simplesmente o tratam como um cão sarnento. Quando foi necessário que ele levantasse o hexacampeonato - e eu sou flamenguista - , ele valia muito. Quando ele foi acusado, quando foi alvo de acusações infames, passou a ser tratado como um leproso".

Direto da Ucrânia

Se fosse no tempo do Dunga, queria ver o que diriam por ele chamar dois jogadores do Shaktar Donetsk para a Seleção (Fernandinho e o recém-chegado André).

Ah, sabe o Hulk, que provocou chacotas a torto e a direito por aqui quando foi chamado pelo Dunga, inclusive tendo, simbolicamente, sido o escolhido pra ganhar na enquete sabotada por alguém antes da copa? Sim, sim, o Hulk, que não é o Bruce Banner, ele mesmo, também está ali, na lista do Mano.

Eu disse isso, mas curto a lista do cara e entendo o trabalho - apesar de não entender a necessidade de convocar jogador pra ficar treinando e saber que ele não tem nada com isso. Mas dou risada quando vejo nego achar que está acontecendo uma revolução na filosofia, nos nomes e no modo de agir da Seleção Brasileira.

Aguardemos 2014. Ou melhor. 2011. Na Copa América, acho, estarão pelo menos uns oito ou dez (se ninguém tiver convocação restringida ou pedir dispensa) que estiveram na Copa um mês e meio atrás...

forza, mano

sim, mano de menezes voltou à carga.
convocação agora pros estrangeiros se divertirem em colectivos em barcelona. estranho. mas é a seleção do teixeira. não podemos nos esquecer disso.
te digo que lucas e ramires seguem firmes como melhor dupla de meio, que andré e hernanes mal chegaram e já foram chamados, e que eu gostei muito de felipe coutinho na seleção brazileira! mas ainda não desisti de vê-lo com ganso e neymar juntos. ainda vai demorar um pouco pra isso acontecer, se camarada continuar chamando uns daqui e depois os caras de lá e tal.
mas, enfim, só lembrei do d*nga por causa do hulk...

Da série: Eu tive um futuro promissor

Sabe o que esses quatro times tem em comum?


























O medo de ter de aturar essa figura na próxima temporada:


quinta-feira, 19 de agosto de 2010

o bom menino

pronto. o garoto neymar fica no santos futebol clube.
sinceramente?
o futebol brazileiro fica devendo mais essa ao tradicional
alvinegro praiano e seu presidente luiz alvaro de oliveira.
há uma lição aqui, moçada, vamos prestar atenção nisso.

(o edson é aquele que está no colo)

Nunca antes na história desse país...

... se jogou tão pouco pela Seleção Brasileira. Aliás, tããããão pouco que agora o Mano Menezes vai convocar nossos atletas do exterior, amanhã, sexta-feira, para ficarem apenas treinando por dez dias. É sério isso. Eles serão convocados apenas para treinarem. Não jogarão contra ninguém, porque a CBF não teve competência ou vontade (sei lá, vai que joga contra a Alemanha ou a França e toma de quatro...) de marcar amistoso contra ninguém.

Com isso, não veremos Neymar, Ganso e, para tristeza de Daniel Almeida de Farias Brito, Diego Tardelli na lista.

Dúvida cruel: vai passar o treino no SPORTV? E as coletivas? Na Globo? O Bem Amigos vai transmitir as peladas ao vivo?

Vejam a matéria:

http://globoesporte.globo.com/futebol/selecao-brasileira/noticia/2010/08/sem-amistoso-mano-convocara-selecao-na-sexta-so-para-treinos.html

utilidade pública

o jornalista josé cruz voltou com seu blog.
na hora exacta!
http://blogdocruz.blog.uol.com.br/

Flawless victory...

Já repararam como o UOL tá forçando uma barra escrotíssima para "popularizar" o Ultimate Fight Championship? Todo dia tem uma matéria grande, com chamada grande, dessa bosta... Que saco!

Festa Colorada no Beira-Rio - Parte III

Festa Colorada no Beira-Rio - Parte II

Festa Colorada no Beira-Rio - Parte I

O garoto de 30 milhões de euros

Bernardo Scartezini

Neymar já passou pelo Real Madrid. Viajou com o pai para ver se gostava de lá. Tinha apenas 14 anos. Pediu para voltar depois de uma semana. A diferença agora é que, se for para o Chelsea, não vai ser tão fácil...


O garoto Neymar tu conheces. Roman Abramovich também o conhece. O obscuro e arquimilionário dono do Chelsea botou uma grana pesada em cima da mesa. Agora o pessoal do Santos quer convencer ($$) o menino a ficar por aqui um pouco mais. Ele ficou de pensar, dar resposta até amanhã. A família de Neymar acha que seria uma boa ($$) ele ir para a Inglaterra. Neymar parece confuso. Dia desses, bateu boca com jornalista, à toa, por conta dessa história. O empresário do jogador, Wagner Ribeiro, admite que o guri muda de opinião a todo momento. Neymar tem 18 anos de idade.

Manhã de domingo, Chelsea na tevê com o West Bromwich, primeira rodada da Premiere League. Atual campeão, o Chelsea abriu a temporada no mesmo ritmo da anterior. Meteu seis gols — três do marfinense Drogba, dois do francês Malouda e unzinho do inglês Lampard. Eu fiquei vendo aquele time jogar, jogar muito — e a me perguntar: o que faria Neymar por lá?

O mais bobinho deles pegou 18 jogos de suspensão: Anelka foi afastado da seleção francesa por xingar Raymond Domenech em África-2010. O capitão Terry, titular absoluto da equipe e reserva moral do clube, caiu em desgraça ao ser pego com a mulher de outro. E vale lembrar que o sabichão Luiz Felipe Scolari, campeão mundial e o escambau, só durou oito meses ali. Perguntado sobre a breve passagem de Felipão, Terry disse que até gostava do treinador — “eu e mais dois ou três”.

O genioso Ballack não está mais no Chelsea, voltou à Alemanha. Mas talvez o clube ainda seja ambiente hostil para um garoto abusado como Neymar, que chegaria com o moicano em riste & as canelas franzinas.

Na verdade, te confesso que nem sei o que acharia pior: Neymar ser sabotado pelos donos do pedaço ou ser adotado como malinha júnior pelos malas seniores.

A ver o time do Santos. Boa parte de sua graça está/esteve no clima entre os garotos, a bailarem antes e depois de cada gol. Um ar colegial que deu nova vida ao opaco futebol guerreiro, futebol brahmeiro que pairava ao redor. E Mano Menezes, como tantos outros, reconheceu essa virtude imensa e chamou a turma para o time nacional. Neymar, tratado com todo o carinho no Santos, chegou à Seleção também com jeitinho.

E saberão cuidar do garoto lá em Londres?

Devia ser essa a pergunta a interessar a Neymar e sua família — e a mim, a ti, a todos os amantes do futebol. Seria uma pena Neymar se perder por aí.

Neymar tem em Robinho um amigo escolado. Robinho, então sob orientação do mesmo empresário de Neymar hoje, deixou o Brasil aos 21 anos, já bicampeão nacional, para gramar no Real Madrid de Raul & Guti. Pediu para ser vendido ao Chelsea, parou no Manchester City, foi emprestado ao Santos, agora periga parar no Fenerbahçe, no Schalke 04. Robinho ainda não é — talvez nunca seja — o jogador que poderia ser.

Neymar também já passou pelo Real Madrid. Ele viajou com o pai para ver se gostava de lá. Tinha apenas 14 anos. Pediu para voltar depois de uma semana. Agora a diferença é que, se for para o Chelsea, não vai ser tão fácil...

Bernardo Scartezini escreve às quintas-feiras no Super Esportes

Eu quero ter um milhão de amigos....

...Rede Globo em polvorosa: Mano Menezes tá tão amiguinho da galera global que compareceu até ao lançamento do vinho do Galvão Bueno. Que beleza. E ainda aproveitou pra tirar uma onda de papai-sabe-tudo da imprensa:

“Os treinadores da velha guarda viam conspiração em tudo. E os jogadores viraram técnicos. O problema é que o Dunga não se preparou para ser técnico. Eu sempre tive um relacionamento bom com a imprensa, sempre soube que os jornalistas são meu meio para eu dizer o que eu quero para os torcedores”, disse.

Maravilha É isso aí. Daqui a três derrotas ou uma convocação meio esquisita, a gente vê como vai estar a relação dele com a imprensa, hehehe...

O maior espetáculo da Terra

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Direto de Porto Alegre

Acompanhe os bastidores da final da Libertadores pelo twitter do nosso enviado especial a Porto Alegre Guilherme Goulart (@GuilhermGoulart):

"Cheguei há pouco do Beira-Rio. O palco está pronto. Volto daqui a pouquinho para entrar na torcida por mais um título de Libertadores!"

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Pergunta ao amigo John

No pré-Copa, acusações de armação pró-Corinthians.

No pós-Copa, com pênaltis não marcados contra Flamengo e Avaí, a acusação será de esquema Unimed? Ou ainda mantemos a acusação pró-Andrés Sanchez?

Aguardo manifestação do amigo John, sempre atendo às arbitragens.

o flu a um passo do título

nunca antes na história dos pontos corridos os times kariokas atingiram tão alta pontuação.

e, caso vença o vasco no próximo domingo e o corinthians tropece diante dos tricolores de baresi, celso barros já pode abrir o cofrinho da unimed e de lá retirar as faixas grenás de campeão brazileyro confeccionadas com tanto carinho.

pode até devolver o deco ao chelsea que ainda está na garantia.

maldiçao de dunga

“A estreia do Mano foi boa. Mas agora tem de ter tranquilidade para trabalhar, e eu acho que ele não vai ter"
Dunga,
ao programa pânico (!!!)

domingo, 15 de agosto de 2010

Vexame mundial


Meu time em Sete Lagoas (MG) não é o Democrata Jacaré. Sempre torci pelo Bela Vista, por influência do meu pai, nascido e criado no bairro Santa Luzia, casa do clube alviverde. Na infância e adolescência, assistia os jogos do Bevê pelo Campeonato Amador de Sete Lagoas no acanhado estádio do Garimpo (apelido do Santa Luzia). E me divertia bastante.

Passadas duas décadas, reencontrei o Bevê no meu exemplar da edição de agosto da Revista de História da Biblioteca Nacional. A publicação traz artigo de quatro páginas sobre a excursão do Bela Vista pela Europa, em 1958 (na foto acima, a equipe embarcando no Rio). Já havia ouvido meu pai falar dessa saga, mas nunca tinha visto documento a respeito. Abaixo, trecho do artigo:

É proibido perder

Quando o Brasil ganhou a Copa de 1958, um time mineiro fez uma temporada de derrotas na Europa que mobilizou até o Itamaraty

André Carazza dos Santos

O Globo estampou: “Tragédia nacional”. O jornal mineiro Diário da Tarde foi ainda mais enfático: “Uma tragédia esportiva sem similar na história do soccer brasileiro”. As manchetes não se referiam a nenhuma derrota da seleção brasileira, mas ao time mineiro Bela Vista Futebol Clube. Justamente em 1958 – ano da primeira conquista brasileira da Copa do Mundo –, o clube fez uma campanha desastrosa nos gramados da Europa: perdeu 19 das 23 partidas disputadas.

Originário da cidade de Sete Lagoas, o Bela Vista foi alvo de um amplo e incisivo ataque que envolveu imprensa, autoridades políticas e esportivas de todo o país. O clube foi acusado de manchar a imagem do Brasil e do principal esporte nacional. Afinal, a seleção brasileira desfilava craques que encantaram o mundo, como Nilton Santos, Didi, Garrincha e Pelé. Parecia inadmissível que o Brasil apresentasse um futebol de segunda categoria. A conquista da Taça Jules Rimet havia cristalizado a imagem do Brasil como “país do futebol”. Segundo o antropólogo Roberto DaMatta, esse triunfo permitiu ao brasileiro penetrar no universo saboroso e nobre da vitória. Foi também a partir dessa conquista que o dramaturgo e jornalista Nelson Rodrigues cunhou a expressão “Pátria em chuteiras”.

A imagem vencedora que o futebol proporcionou ao país não podia ser arranhada. Pior ainda se fosse um mês depois de a seleção brasileira conquistar a Copa do Mundo. Mas foi exatamente o que aconteceu: o desconhecido Bela Vista embarcou para o Velho Mundo quando a vitória no mundial ainda era comemorada. A responsabilidade de representar o melhor futebol do planeta era imensa. O exagero da “Nota de Redação” do jornal O Globo em 20 de outubro de 1958 ilustra bem a notoriedade que ganhou o time de Sete Lagoas: “O Caso Bela Vista, assim, é assunto que desafia, em importância, a conquista da Taça Jules Rimet pela Seleção do Brasil”. (...)

Leia a matéria completa na edição de Agosto, nas bancas.

Musa de domingo

Shakira

sábado, 14 de agosto de 2010

"Copa Catorze" vai ser pura emoSSão

"Estamos estudando acabar com os empates nos jogos da fase de grupos, assim como as prorrogações nas partidas. Se em 90 minutos não houver vencedor, a decisão será nos pênaltis. Também poderemos reintroduzir o gol de ouro, abolido em 2002. O primeiro gol na prorrogação decide o vencedor, o que obriga as duas seleções a irem para o ataque"
Sepp Blatter, presidente da Fifa

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Técnico do São Paulo sem meias palavras

Momento White

Foi só Mano$ convocar Ramires para seu primeiro jogo aa frente da seleção e o volante foi vendido para o Chelsea.

Por R$ 46 milhões, R$ 5 millones a menos que a oferta para Neymar, outro convocado por Meneze$.

De quebra, Ancelotti avisou: "Ramires é o futuro do Chelsea".

Foi um elogio??

Pesquisa Lance!-Ibope

16.010.429
habitantes tem o Estado do Rio de Janeiro

7.080.583
torcedores tem o Club de Regatas Flamengo

6.186.710
habitantes tem a cidade do Rio de Janeiro

2.769.986
torcedores tem o Clube de Regatas Vasco da Gama

1.587.295
torcedores tem o Fluminense Football Club

1.447.240
torcedores tem o Botafogo de Futebol e Regatas

Em relação aa última pesquisa Ibope-Lance!, datada de 2004:

- Club de Regatas Flamengo foi campeão da Copa do Brasil, tricampeão carioca, campeão brasileiro, deveria aumentar sua torcida, certo? Pois, perdeu 2,8% de seus torcedores (48,3% - 45,5%);

- Clube de Regatas Vasco da Gama, perdeu Copa do Brasil pro Club de Regatas Flamengo, caiu para a segunda divisão, viu morrer seu presidente vitalício, mas só sofreu com a perda de 0,2% de seus aficionados (18% - 17,8%)

- O Fluminense Football Club, vice da Libertadores, vice da Sula, ambas para a expressiva LDU-ECU, ganhou um carioca contra o Voltaço-aço,fugiu de dois rebaixamentos na bacia das almas, ganhou uma Copa do Brasil, e cresceu sua torcida em 1% (9,2% - 10,2%)

- O Botafogo de Futebol e Regatas, perdeu três campeonatos cariocas para o Club de Regatas Flamengo, descobriu um crack em Taguatinga e ficou em quarto na Copa do Mundo de seleções, disputada em junho/julho últimos, na Soufáfrica, competindo com o Uruguay amealhou 0,1% a mais de fans (9,2% - 9,3%)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Que porra é essa, Ronaldo?


Cara, já passou do limite da chacota. Eu tô ficando é com pena e com vergonha desse sujeito. Ele tá há três meses sem jogar e tá assim? Que coisa horrorosa. Essa foto foi feita HOJE.

Isquiotibial

Camarada tava esquecido lááááá na frança, onde tem aquele campeonato fortíssissimo, até ser convocado por Mano$ e Meneze$.
passou três minutos em campo pela seleção brasileira e os cinco meses seguintes serão sem jogar.

Motivo: ruptura total dos músculos isquiotibiais da coxa esquerda

Este é o Éderson, primeira experiência mal sucedida de Mano$ Meneze$ aa frente da seleção



dúvida nos pampas

última pergunta do "domingo no parque" para o garotinho gremista:

- você quer trocar a permanência na série a pelo inter bicampeão do mundo? sim ou não? a luz vermelha está acesa, pode responder!

O alviverde impotente

Junho - "Palmeiras será outro quando Kleber Gladiador chegar"
Julho - "O Palmeiras vai melhorar (se é que já nao melhorou) qdo Scolari assumir"
Agosto - "O Palmeiras só precisa do Valdívia para ser campeão brasileiro"
Agosto - O Palmeiras de Kleber, Valdivia, Scolari e o djabo a cuatro está há cinco jogos sem vencer.

Momento Daniel Brito

Certeza que o Mano Menezes vai embolsar muito dinheiro com a transferência de Neymar, uma partida pela Seleção, para o Chelsea.



Momento meu:

Todo jogador que joga na Seleção é vendido em seguida. Ou a maioria deles. Não dá pra afirmar que o Luxemburgo, o Parreira, o Zagallo, o Telê, o Candinho, o Ernesto Paulo, o Ricardo Gomes, o Leão, o Mano Menezes, o Felipão ou o Dunga levam dinheiro nessas transações.

PS: DB, não fique bravo, é só pra ver se alguém comenta, coisa que acontece aqui cada vez menos.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Olha o Renatão aí, gente!!!

De África do Sul - Port Elizabeth - 30-06 a 02-07-2010


Bastidores de Brasil x Holanda, com várias fotos e vídeos. Confira os lances (de outro ângulo) dos dias que antecederam essa tragédia aqui no Picasa:

http://picasaweb.google.com.br/felipecampbell76/AfricaDoSulPortElizabeth3006A02072010

Deu no Painel FC

Gente ligada ao Comitê Organizador Paulista da Copa-2014 estranha que, passados quase dois meses da entrega das garantias financeiras das cidades-sedes, só seis delas encaminharam ao BNDES pedidos de financiamento. Entre elas, nenhuma candidata a sediar a abertura enviou pedidos. Por conta disso, em São Paulo, questiona-se a precisão das documentações e se não houve rigor excessivo sobre o Morumbi.

Exemplo de caráter, excelente profissional (II)

Nada como um dia após o outro (II).


(Saiu no Yahoo)

Zico admite que Fla busca nomes de peso


Ainda que mantenha o silêncio externamente, Zico já sente dentro das paredes da Gávea o que é ser diretor executivo do Flamengo. Nesta terça-feira, o dirigente se reuniu com líderes de torcidas organizadas do clube. Em pauta cobranças pela falta de reforços de expressão e descontentamento com a campanha do time no Brasileiro.

Na conversa não houve espaço para hostilidade e Zico admitiu que está em busca de reforços para o Flamengo. Thiago Neves, meia ex-Fluminense e atualmente no Al Hilal, da Arábia Saudita, Deivid, atacante do Fenerbahçe, da Turquia, e o meia Everton, integrante na campanha do hexa em 2009 e atualmente no Tires, do México, são os nomes apresentados para acalmar o descontentamento da torcida rubro-negra.

Thiago Neves e Deivid são situações mais difíceis, mas não impossíveis. A Olympikus surge como possibilidade para auxiliar financeiramente nos casos, embora inicialmente a ideia não tenha empolgado tanto os executivos da empresa, que bancou parte dos salários de Vagner Love e Adriano. O meia tem contrato com o Al Hilal por mais quatro anos e um alto salário.

Recentemente, seu empresário, Leo Rabello, considerou a empreitada difícil. Mas Rabello, no entanto, tem grande força dentro do futebol da Gávea atualmente. O empresário quase levou o técnico Joel Santana para o clube e financiou parte da campanha de Patricia Amorim à presidência no ano passado. Seria um trunfo para ter Thiago Neves por um período de empréstimo e uma resposta aos altos cardeais rubro-negros que observam a proximidade do empresário com o futebol do clube.

No caso de Deivid, Zico já manteve contatos o empresário do atacante, Juan Figer, e com o Fenerbahçe, onde já trabalhou como técnico. Deivid, no entanto, tem mais três anos de contrato e sua liberação é considerada cara. As conversas, no entanto, continuam e o dirigente está à espera de uma resposta. Já Everton é visto como uma oportunidade.

Embora tenha deixado a Gávea no início deste ano por cerca de R$ 10 milhões, o meia tem tido poucas oportunidades no Tigres, do México, e desejaria voltar ao Brasil. O Flamengo, no entanto, precisa correr: no dia 19 deste mês a janela para transferências internacionais será fechada.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Brasil 2x0 EUA, 3 min do 2º tempo

Brasil de Mano Pelezes dando show até agora nos States e eis que pescamos esse tweet de Felipe, the Campbell, the President:

Preguiça de qualquer análise definitiva pro bem ou pro mal só por causa desse jogo. Lembrete: em 2006, Dunga estreou com 3 x 0 na Argentina.

Se fosse o D*nga HOJE

Se começasse hoje, com as condições impostas a Mano$ e Meneze$, jamais escalaria esse time

----------------------------------------1Victor-------------------
2Daniel Alves------------3Thiago Silva--------------4DavidLuiz-------------6André Santos
--------------------------------------------5Lucas---------------------------------------
-------------------------8Ramires-----------------------------------------------------
--------------------------------------------------10Ganso-----------------------------
-------------------------7Robinho------------------------------11Neymar-------------------
-----------------------------------------9Pato------------------------------------

As camisas mais feias do futebol brasileiro

O mala que veio do Sul

Deco, o Doutor Octopus e uma conclusão: que bom que ele veio

Coluna do Lédio Carmona .

Sim, é verdade: Deco chegou



O título parece ser meio deslumbrado, mas eu entendo que vale a pena comemorar a chegada de Deco ao Fluminense. Seja você tricolor ou não. Discutem se o patrocinador exagera ou não no investimento em medalhões. Falam que a mesma empresa gasta demais e obriga o clube a privilegiar o marketing. Especulam sobre a dificuldade (???) que Muricy Ramalho terá para arrumar uma vaga para Deco no time titular. E, claro, avaliam, antes mesmo de o meia estrear, se ele responderá no campo pelo dinheiro pago por ele. Aos 32 anos, Deco tem tudo para se transformar num acerto. E, ao lado de Conca, tornará o grupo tricolor ainda mais forte, real e poderoso no caminho polarizado com o Corinthians pela conquista do Campeonato Brasileiro.

Até acho que, em alguns momentos, o patrocinador do Fluminense é meio delirante. Não desta vez. Deco é um acerto. E realmente não teve uma grande fase no Chelsea. Mas talvez essa guinada na carreira fosse necessária para sua remotivação. De volta ao país de origem, num clube de ponta, com salário de europeu, e com privilégio que só uma estrela internacional recebe por aqui. Deco nunca jogou no Maracanã. Não sabe o que é um Fla-Flu. Não conheceu a fundo um Campeonato Brasileiro. Terá sua chance. E, podem ter certeza, Muricy irá escalá-lo e, provavelmente, abrirá mão do sistema com três zagueiros – na verdade, com a estréia de Valencia, o volante colombiano será uma espécie de falso terceiro defensor. Como Ayrton era no Flamengo. E como Edinho era no seu Internacional.

Deco é um acerto tricolor. Pode dar errado? Até pode, muito embora eu não acredite. Consciente, sabe da sua responsabilidade e do peso que carrega. Por outro lado, sua chegada repõe o Fluminense no mapa do futebol internacional. Parece pouca coisa hoje, mas o retorno sempre chega. Sinceramente, no momento em que conseguimos ser dominados por uma empresa que espalha seus tentáculos por todo futebol brasileiro e conseguimos perder jogador até para a Áustria, questionar a chegada de Deco é, no mínimo, algo deveras sem sentido.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

A comemoração que veio do frio

Dinheiro mal gasto

Em 10 anos, o Royal Madrid realizou 48 contratações desde 2000, que custaram juntas 1,022 bilhão de euros (cerca de R$ 2,3 bilhões). Os atletas brasileiros custaram um total de 212 milhões de euros (pouco menos de R$ 500 milhões).

Levantamento foi feito pelo jornal Marca.

Dentro de campo, o investimento rendeu ao Real, nestes 11 anos, quatro títulos espanhóis, uma Copa dos Campeões da Europa e um Mundial de clubes.

Kaka custou 64 milhoes de euros

Ronaldo, 45 milhoes de euros

Robinho, 25 millones de euros

Flávio Conceição, 25 milhões de euros

Julio Baptista, 20 milhões de euros

Emerson, 16 milhões de euros

Cicinho, 8 milhões de euros

Marcelo, 9 milhões de euros

    Eu nao gosto do corinthians

    it´s now or never




    deco acaba de ser apresentado no fluminense pelo presidente do clube (na foto, à esquerda do jogador).

    dizem que vai ganhar a bagatela de R$ 700 mil - seu salário só perderá para o do roliço fenômeno.

    líder do campeonato, o melhor técnico do brazil, reforços de nível internacional.

    dinheiro pelos tubos, graças à unimed.

    o fluzão nunca esteve com tantas condições - técnicas e financeiras - de voltar a ser campeão brasileiro.

    qualquer outro resultado, mesmo a libertadores, será uma imensa decepção para o mais generoso patrocinador da história do futebol mundial.

    podem preparar os chopes, presidentes - do clube, do patrocinador e deste blog.

    Mercado aberto: ligue os pontos

    (1) ------------------------- (a)










    (2) ------------------------- (b)
















    (3)---------------------------------------(C)
















    (4)-----------------------------------(d)













    (5)------------------------------------(e)




    se nao houver burguesia, nao vai haver poesia

    domingo, 8 de agosto de 2010

    quarta força

    parabéns ao atual campeão brasileiro pela campanha do bicampeonato.

    bem estacionadinho na tabela, sem ganhar e sem convencer ("inofensivo", disse o comentarista rubro-negro da globo), enquanto os rivais cariocas não param de vencer - e de crescer na tabela.

    sem contar a aposta em uma camisa, digamos, diferente.

    eis o flamengo, se esforçando para se consolidar como a quarta força do futebol do rio de janeiro.

    que continue com o mesmo empenho.

    Musa de domingo

    Lara Stone

    sexta-feira, 6 de agosto de 2010

    O Chávez da Olimpíada

    Reportagem da revista mais respeitada do país sobre o querido Nuzman:

    Por NICHOLAS VITAL, de EXAME

    Carlos Nuzman mudou as regras do Comitê Olímpico Brasileiro para se manter na presidência até 2016 – serão 21 anos no comando.Denunciado por irregularidades nas contas da entidade e do Pan 2007, cabe a ele gerir 5,6 bilhões de reais para montar a Olimpíada no Rio

    Poucos homens no mundo podem gabar-se de ter derrotado o presidente americano Barack Obama em uma eleição.

    Um deles é o carioca Carlos Arthur Nuzman, de 68 anos, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

    A vitória de Nuzman sobre Obama aconteceu na noite de 2 de outubro de 2009, em Copenhague, na Dinamarca, quando o Comitê Olímpico Internacional anunciou a escolha da cidade do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016, deixando para trás Madri, Tóquio e a Chicago de Obama.

    A notícia desencadeou uma série de comemorações no Brasil, especialmente no Rio, onde milhares de pessoas foram às ruas festejar.

    Poucos tinham tanto motivo para comemorar quanto Nuzman, para quem a escolha foi uma vitória pessoal.

    Após três candidaturas frustradas, ele finalmente havia convencido os exigentes dirigentes do comitê internacional de que o Brasil tem condições de organizar uma Olimpíada em alto nível. “Foi a maior conquista olímpica de nossa história”, diz Nuzman.

    É com a mesma determinação que demonstrou durante o processo de candidatura do Rio que Nuzman manda no esporte brasileiro desde 1995, quando herdou a presidência do COB de André Richer, hoje vice-presidente da entidade.

    Há 15 anos a dupla comanda o comitê olímpico com mãos de ferro.

    Administram verbas milionárias recebidas do governo federal – em 2008, último dado disponível, foram 93 milhões de reais – cercados de polêmicas.

    Alvo de denúncias por irregularidades nas contas da entidade e pelo escândalo de superfaturamento nos Jogos Pan-Americanos de 2007, Nuzman agora será o principal responsável por um orçamento de 5,6 bilhões de reais para a organização da Olimpíada no Rio de Janeiro.

    Desta vez, garante que não haverá estouro no orçamento.

    No entanto, a seis anos do evento, os primeiros problemas começam a aparecer.

    Até agora, o COB não prestou conta dos 44 milhões de reais gastos na candidatura do Rio aos Jogos Olímpicos, fato que obrigou o Tribunal de Contas da União a instaurar um inquérito para apurar a aplicação dos recursos.

    Nuzman é um homem cuja vida está estreitamente ligada ao esporte.

    Como jogador de vôlei, representou o Brasil na Olimpíada de Tóquio, em 1964.

    Encerrada a fase de atleta, formou-se em direito e trilhou carreira como dirigente.

    Teve breve passagem pela Federação de Vôlei do Rio de Janeiro até chegar, em 1975, à presidência da Confederação Brasileira de Vôlei, onde ficou por 20 anos.

    À frente da CBV, tornou uma potência a até então inexpressiva seleção brasileira. “O Nuzman foi o grande responsável pela transformação do vôlei brasileiro”, afirma William Carvalho, capitão do time que conquistou a medalha de prata na Olimpíada de 1984.

    O sucesso o credenciou ao cargo de vicepresidente do COB, posto que ocupou de 1992 a 1995, quando se beneficiou da renúncia de André Richer para assumir a presidência da entidade – e de lá não saiu mais.

    Logo em sua primeira eleição à frente do COB, em 1998, Nuzman promoveu uma mudança no estatuto que esticou o mandato em dois anos.

    A manobra também permitiu a criação do polêmico artigo 26, que restringe o direito de concorrer à presidência do COB a quem é membro da entidade há pelo menos cinco anos consecutivos, o que eliminou a maioria dos concorrentes.

    Cercado de aliados, venceu as eleições de 2004 e de 2008 em chapa única.

    Quer ficar na presidência pelo menos até 2016 – já dá a eleição de 2012 como ganha -, quando completará 21 anos à frente da entidade, uma permanência de matar de inveja “democratas” como o presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

    A longevidade no poder não é exatamente uma novidade no meio esportivo, mas no Comitê Olímpico Internacional há um limite de permanência na presidência de 12 anos.

    Em muitos aspectos, a trajetória de Nuzman é idêntica à de Ricardo Teixeira, cartola responsável por organizar outro evento bilionário, a Copa do Mundo de 2014, que dirige a Confederação Brasileira de Futebol há 21 anos sem adversário que lhe faça sombra.

    No meio esportivo, quase ninguém se atreve a enfrentá-lo.

    Um dos poucos críticos a seu trabalho, Alaor Azevedo, presidente da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa, diz que faltam critérios ao COB.

    Segundo ele, toda a verba destinada ao esporte (exceto, é claro, o futebol) no Brasil é gerida por Nuzman, que a distribui entre as confederações de acordo com seu interesse. “O dinheiro é um instrumento político. Nuzman tem a chave do cofre, e as pessoas o temem por isso”, diz Azevedo.

    Desde 2001, o Brasil conta com a Lei Piva, que destina 2% da arrecadação das loterias federais aos esportes olímpicos e paraolímpicos.

    Mas apenas parte do dinheiro chega aos esportistas. Dos 93 milhões de reais transferidos ao COB pela Caixa em 2008, quase 26 milhões foram gastos com a estrutura administrativa da entidade.

    Um episódio recente, o do advogado Alberto Murray, evidenciou que críticas ao homem forte do COB não fazem bem à carreira dos dirigentes.

    Ex-diretor jurídico da Federação Aquática Paulista e membro do COB até meados de 2009, Murray virou desafeto de Nuzman ao acusá-lo, no ano passado, de uso do cargo em benefício próprio.

    “Aquilo se tornou um balcão de negócios”, diz Murray.

    A resposta de Nuzman às críticas foi rápida.

    Bastou um telefonema para Miguel Cagnoni, presidente da federação aquática, para que Murray fosse demitido e excluído dos quadros do COB.

    Murray, por sua vez, segue atacando Nuzman toda vez que encontra alguma irregularidade.

    Os Jogos Pan-Americanos do Rio foram um prato cheio para o advogado.

    Visto pela comunidade olímpica como um evento de menor importância, o Pan custou 3,5 bilhões de reais aos cofres públicos, cerca de nove vezes o previsto no orçamento inicial.

    O Tribunal de Contas da União já encontrou indícios de superfaturamento em diversas obras, mas os processos ainda não foram concluídos.

    No estádio João Havelange, o Engenhão, o TCU apontou problemas em 17 dos 22 itens analisados.

    Resultado: a obra, que deveria custar 60 milhões de reais, saiu por 400 milhões.

    Nuzman nega o superfaturamento e afirma que o estouro se deu por ajustes no plano original, que previa um evento mais modesto.

    Terminado o Pan, o Engenhão foi entregue ao Botafogo – único clube a apresentar proposta para arrendamento -, que ganhou o direito de exploração por 20 anos. O aluguel mensal é de 36 000 reais.

    Se esse retorno for mantido, serão necessários 925 anos para amortizar o investimento público no estádio.

    Para a Olimpíada de 2016, o orçamento total previsto beira os 30 bilhões de reais.

    O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos, também presidido por Nuzman (esta é a primeira vez na história que o presidente do comitê olímpico do país-sede acumula a função), terá cerca de 5,6 bilhões de reais – sendo 1,4 bilhão da União – para cuidar de toda a estrutura do evento.

    O restante da conta será pago com dinheiro público.

    Cerca de 23 bilhões de reais deverão ser investidos pelos governos federal, estadual e municipal para a construção de novas instalações esportivas e obras de infraestrutura, como a melhoria no sistema de transporte do Rio de Janeiro.

    Para os especialistas, a tendência é de novo estouro no orçamento, a exemplo do que ocorreu no Pan.

    “O Nuzman inventou o orçamento flexível”, diz Antonio Roque Citadini, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. “Ele apresenta um orçamento mais modesto para que seja aprovado, mas só se saberá o custo real ao final das obras.”

    Enquanto os Jogos de 2016 não chegam, o COB segue sorvendo verbas públicas milionárias.

    No fim de julho, o Ministério do Esporte liberou mais 100 milhões de reais às confederações para ajudar na preparação dos atletas brasileiros. Cerca de 20% dos recursos serão aplicados na reforma de dois complexos esportivos inaugurados há menos de três anos: o Parque Aquático Maria Lenk e o Velódromo de Jacarepaguá, ambos no Rio de Janeiro.

    O Maria Lenk, que custou 85 milhões de reais aos cofres públicos para servir ao Pan, não terá condições de receber as provas de natação da Olimpíada.

    Em 2016, abrigará apenas provas do nado sincronizado, saltos ornamentais e polo aquático – uma nova estrutura terá de ser feita para a natação.

    Já o Velódromo, construído com madeira importada da Sibéria, custou 12 milhões de reais e ficou ocioso após o Pan.

    Só voltou a chamar a atenção devido à gravação de cenas da novela global Passione com os galãs Cauã Raymond e Kayky Brito.

    “As pessoas se apegam a números frios e esquecem do legado que ficará para a cidade do Rio de Janeiro”, afirma Nuzman.

    A julgar pela herança deixada pelo Pan, os cariocas – e os brasileiros em geral – têm de começar a se preocupar desde já.

    Da revista EXAME de 11 de agosto de 2010, edição no.973

    Exemplo de caráter, excelente profissional

    Nada como um dia após o outro...

    Agente de Thiago Neves acena com negociação com o Flamengo



    O empresário do Thiago Neves, Leo Rabelo, negou que tenha ocorrido algum contato com relação à contratação do jogador por parte do Flamengo. Por sua vez, abre a possibilidade para que aconteça uma possível negociação com o apoiador do Al-Hilal, dos Emirados Árabes, caso o diretor executivo do clube, Zico, o procure para conversar sobre a possibilidade.


    O nome do jogador é constantemente comentado como grande desejo do time rubro-negro para comandar o time no Campeonato Brasileiro. Mas seu agente acha complicado que o clube consiga ter êxito.

    "O Thiago Neves é o maior ídolo da Arabia Saudita, sabe o que é isso? Ele tem mais quatro anos de contrato com Al Hilal. Até agora ninguém me procurou. Só se eles estão se movimentando internamente. Agora, se o Zico vir até o meu escritório a gente pode conversar. O Thiago ganhou todos os prêmios lá na Arábia, ganhou diversos títulos e é artilheiro do time. Acho muito difícil", explicou.


    Desde o ano passado no mundo árabe, o meia-atacante foi um dos grandes nomes do Fluminense na campanha do vice-campeonato da Libertadores da América 2008. Por sinal, na final com a LDU, Thiago fez os três gols do time carioca responsáveis por levar a partida para os pênaltis. No Al-Hilal, conquistou a Liga da Arábia Saudita e a Copa do Vice-Rei.

    DIGNIDADE

    Valeu São Paulo. Não passamos à final, mas recuperamos a honra.

    Maldita janela de transferências

    O capitalismo é o maior vilão do futebol brasileiro. Bons, ruins, craques, foras-de-sério, medíocres, insossos. Não importa o tipo de jogador. Todo mundo que passa por uma boa fase de seis meses ou um pouquinho mais (não precisa ser excepcional, só uma boa fase) vai vendido. Provavelmente para uma bosta de time na Europa.

    É o que aconteceu com Alan, o jovem atacante de 21 anos do Fluzão, que trocou as Laranjeiras pelo Red Bull da Áustria (NR: como a Globo vai chamar o time? RBS? RBF?). Com 87 partidas e 26 gols pelo time, ele nunca se firmou como titular. Mas, desde 2007, quando subiu para os profissionais, sempre entrou bem e, na média, ajudou o time. Fará falta, claro.

    Mas pergunto: onde ele estará daqui a seis meses, profissionalmente falando?

    Sério, essas coisas deixam qualquer um triste.

    Como bem descreveu Berna Beat em seu ótimo blog Mengo Beat, rezo pra que esse cabalístico 31 de agosto chegue logo. Maldita janela de transferências.

    Kaká correu risco de encerrar a carreira

    Quem diz é o médico que fez a cirurgia dele no joelho. “Kaká começou a jogar com um incômodo e acabou com uma dor insuportável. Entendo que se trata de uma competição única e que existia pressão, mas ele forçou demais contra Holanda e Chile. Ele me disse que sentia muita dor”, afirmou Marc Martens. Para ele, o meia não deveria ter jogado a Copa.

    Como diz o Juca Kfouri, é impossível não ficar com raiva do Dunga nessas horas. Até entendo ele ter levado o Kaká, mesmo correndo riscos, pois tinha poucas opções para o meio, mas aquele bando de cabeça-de-bagre no banco foi de lascar. É isso que dá apostar quatro anos em jogadores medíocres, mas "de grupo".

    quinta-feira, 5 de agosto de 2010

    Saviola no Flamengo



    (recebi do rubro-negro Renato Freire)

    Ecos da Copa: Ganso, Dunga e Kaká *

    * Juca Kfouri


    Impossível ver a atuação de Paulo Henrique Ganso ontem, mesmo na lama do Barrodão, cabeça em pé, comandante do time santista, e não lembrar, com raiva, de Dunga.

    Sim, o herói acabou sendo Edu Dracena, que já não é nenhum menino, mas o líder técnico permaneceu sendo Ganso, apesar da presença de Robinho que, apesar da crônica deficiência nas finalizações, faz brilhar a estrela do Santos, tantos são os títulos que conquistou na Vila Belmiro.

    E outro eco da Copa veio da Bélgica e da nota do Real Madrid: Kaká operou o joelho e teve “leve melhora” da pubalgia.

    Sem comentários.

    A não ser o de que Deus quis assim e castiga os mentirosos.

    quarta-feira, 4 de agosto de 2010

    Novos patrocínios do SPFC


    Detalhe: A Sil, para quem não conhece, é famoso marca de fio-terra


    - Enviado aa redacao deste cbet pelo flamenguista e comentarista deste cbet, Manu

    O gol mais perdido do ano

    As pérolas da Conmebol


    Eu não tenho nada contra os times mexicanos e acho legal que eles participem da Libertadores. Não vejo, como comparou o inefável Marcondes Brito, nenhuma relação, por exemplo, com time sul-americano jogando a Liga dos Campeões. Nada a ver. A América, no meu ver, é um continente só, e acho legítimo mexicanos jogarem a Libertadores. Assim como acho bacana o México jogar - joga desde 1993 - a Copa América (Costa Rica, EUA e Honduras também participam e acho legal do mesmo jeito).

    O que não dá pra engolir é os caras não poderem jogar o Mundial e, pior, eles serem obrigados - mesmo que tenham tido a melhor campanha da primeira fase - a fazer o segundo jogo da decisão sul-americana fora de casa.

    Se não me engano, essa presepada toda ocorre porque o México é filiado à Concacaf, e não à Conmebol. Tivesse a hombridade que a Austrália teve, de se filiar à Federação Asiática para ter mais chances de se classificar pra Copa, ainda que fosse pegar times bem melhores que Vanuatu, Ilhas Salomão e Ilhas Virgens, o México sairia da Concacaf e viria jogar as eliminatórias sul-americanas. Aí sim, os times que jogam a Libertadores, oficialmente, seriam "americanos". Afinal de contas, a Libertadores é Libertadores da América (e não da América do Sul). E a Copa América é Copa América (e não Copa América do Sul).

    Cito aqui outras paradas que a Conmebol faz ou fez sempre fugindo da ótica esportiva, que são no mínimo suspeitas ou dignas de vergonha até no cenário internacional:

    * Colocar o Japão para jogar a Copa América de 1993. Na época, a decisão era totalmente política (o Brasil apoiaria a candidatura do Japão para a Copa de 2002 e o Japão nos apoiaria para 2006). Foi patético. O pior é o seguinte: ano que vem, a fantástica Conmebol repetiu a presepada. Os japoneses brilharão em gramados argentinos de novo. 

    * A Copa Mercosul. Por si só, a competição é um absurdo, esportivamente falando. Não teve critério técnico algum em nenhuma de suas edições. O critério adotado era vitalicio e meramente marqueteiro. Fossem campeões ou estivessem entre os últimos colocados do campeonato brasileiro, o Grêmio, o Vasco, o Corinthians, o Palmeiras, o São Paulo, o Cruzeiro e o Flamengo sempre seriam os participantes brasileiros. Critério técnico ZERO.

    * Ano passado, a Conmebol sondou a FIFA para que o campeão da Sul-Americana se classificasse também para o mundial interclubes. Ora, raios, então agora para ser campeão do mundo, na lógica conmeboliana, era "mais jogo" chegar entre 5º e 12º do Brasileirão para depois pegar um monte de time ruim na competição continental? Ainda bem que a ideia não foi pra frente.

    * A própria Supercopa da Libertadores, se não chegava a ser uma Mercosul, tinha critérios técnicos para lá de duvidosos. Eram todos os times que já tinham sido campeões da Libertadores em algum momento de sua existência. Mesmo que tivesse sido 40 anos antes. Isso criava aberrações, como o Grêmio jogando a segunda divisão do Brasileirão de 1992 ou o Argentinos Juniors que também não estava na primeira divisão argentina, jogando a competição. Pior foi o Vasco (que à época não tinha sido campeão da Libertadores ainda) ter sido incluído na canetada (ou seria Euricada?) por ter ganhado um torneio na década de 1950.

    * Depois que a Libertadores ganhou corpo, no começo dos anos 2000, com a participação de 32 times na primeira fase, a Conmebol relaxou com a regra de que dois times do mesmo país não poderiam se enfrentar na final. Chegariam lá os melhores, quem realmente fizesse por merecer. Bastaram duas finais brasileiras, entre São Paulo x Atlético-PR e São Paulo x Internacional, para que a genial Conmebol voltasse atrás (literalmente). Sob o argumento de que uma final "nacional" não gerava audiência para o resto do continente, criou novos mecanismos para dificultar a classificação de duas equipes do mesmo país para a final.

    * Esse aqui eu quase tinha esquecido, mas também foi patético: os times mexicanos que viram seus adversários (o São Paulo entre eles), com aval da Conmebol, se recusarem a entrar no México por conta da gripe A1 (ou coisa que o valha) foram eliminados por W.O. Meses depois, como forma de "compensá-los", a Conmebol não só classificou-os automaticamente para a Libertadores de 2010, como jogou-os na segunda fase, eliminando dois lugares que estariam reservados para os segundos colocados da fase de grupos. Eu pergunto: e os times que se classificaram para 2010 no campo e ficaram em sétimo e oitavo lugares entre os segundos colocados, o que têm a ver com a gripe do frango?

    Efeito dreher


    Pronto!
    Agora ja pode ser vice da libertadores mas campeõn mundial.

    terça-feira, 3 de agosto de 2010

    a pergunta que não quer calar

    "onde está a nação?"

    essa é a pergunta que está na capa do caderno de Esportes dessa terça-feira de O Globo.

    a julgar pelo tom da matéria, o problema é grave. tão sério que mereceu inclusive chamada na primeira página do influente jornal carioca.

    os fatos de o fluminense ter, disparado, a melhor média de público entre os cariocas e de o vasco ter levado muito mais gente ao maracanã no domingo, contudo, não mereceram o mesmo tratamento jornalístico.

    nesse momento, os esforços investigativos do periodismo carioca estão concentrados no sumiço e tentativa de localização dos torcedores rubro-negros.

    até zico foi ouvido na reportagem. o galinho faz um apelo emocionado, pedindo o ressurgimento da "maior torcida do brazil" (segundo datafolha, há divergências).

    a situação é delicada. e o globo precisa de uma resposta:

    afinal, onde está a nassão?

    os manos do mano

    recadinho de galvão bueno, estreando novo cenário no "bem amigos", para o novo técnico do brazil, depois de saudar a "volta do bom humor ao comando técnico da seleção brasileira":

    - capricha, cara! essa vai ser minha última copa (como locutor)!

    além desse momento lindo, ainda tivemos o venerando alberto helena jr. aplaudindo mano menezes por citar paulo autuori, que defende a volta do "protagonismo" ao futebol brasileiro.

    - era isso o que eu queria!, emocionou-se helena.

    além do "bem amigos", mano ainda foi ao jô soares, onde ocupou dois blocos do programa. e o jô saudou: "a convocação dele poderia ter sido a minha!".

    depois de um período de turbulência, novamente está tudo em casa na aldeia global.

    segunda-feira, 2 de agosto de 2010

    Agenda cruzmaltina

    Os torcedores do Vasco que forem ao Shopping Rio Sul na noite desta segunda-feira, (2/8) poderão descolar uma foto ou um autógrafo com jogadores do atual elenco cruzmaltino. Na loja Físico & Forma, Jonathan, Fumagalli e Nunes estarão presentes para atender aos fãs, a partir das 19h. De férias, o Zelão confirmou presença.

    Marra santista (parte 22)

    Já viram a matéria sobre a Web Cam do Madson e o papo entre os jogadores do Santos na concentração antes do jogo contra o Grêmio Prudente? Então não, nem leiam. Não tem nenhuma notícia relevante futebolísticamente falando.

    Se ainda assim, quiserem ler, vejam:

    http://globoesporte.globo.com/platb/primeiramao/2010/08/02/twitcam-indiscreta-no-santos/

    O que eu penso: cada dia acho esses moleques mais marrentos, estrelas e mascarados (imagina se tivessem ido pra copa... iam imitar papagaio, dar cambalhota, etc, estilo Ze Carlos 1998). Mas, independente disso, é sacanagem ficarem julgando os caras pelo que falam numa web cam, no quarto de hotel. Se pusessem uma câmera nos aposentos dos dirigentes, técnicos, diretores e outros cartolas, teria saído muita coisa pior. Sem hipocrisia.