terça-feira, 30 de junho de 2009

A praga de botafoguense pegou mesmo!

CM, dá uma colher de chá aí, please.

o homem que caiu na terra


a apresentação do kaká no real madrid foi meio assustadora, não?


ainda mais para um clube que teve como um de seus mais ilustres torcedores o generalíssimo franco.

fla: comprar caro e depois pagar para os outros usarem

quando surge uma ótima notícia na gávea:
"O nome do meia Zé Roberto voltou, e com muita força, à lista de contratações do Botafogo"
ela vem sempre com uma péssima notícia:
"O Flamengo aceitou pagar parte dos salários do jogador, que não vem sendo utilizado pelo técnico Cuca"

Cantando de galo (5) - Diegol, o artilheiro do Atlético

Para o atleticano, ídolo é quem faz a massa vibrar, supera os goleiros adversários. Até música a respeito já fez sucesso na torcida, décadas atrás: “Balança, balança a rede/meu galinho carijó”. Um candidato à galeria de artilheiros atleticanos tem feito sua parte com competência: Diego Tardelli, autor de 29 gols em apenas seis meses de clube.

Depois de passagens sem maior destaque por São Paulo, São Caetano, PSV Eindhoven e Flamengo, ele chegou no início do ano ao Atlético. E mostrou logo seu cartão de visitas. Foi artilheiro do Torneio de Verão, em Montevidéu, e do Campeonato Mineiro. Com seis gols, já divide a artilharia do Campeonato Brasileiro com Pedrão, que acaba de se desligar do Barueri, atraído pelos petrodólares do futebol árabe, e com Felipe (Goiás). É o brasileiro com mais gols na temporada.

Quando desembarcou, em janeiro, na Cidade do Galo, Tardelli não se mostrava pretensioso. Dizia que vinha para ajudar o time e, modestamente, estimava que, se conseguisse fazer 35 gols em 2009, estaria feliz. Mas agora o cálculo é outro. Ao ser ontem lembrado da marca proposta e do número que já alcançou, confessou já sonhar mais alto, mesmo deixando claro que a prioridade é a equipe. “O número de gols marcados é consequência do bom momento, da boa fase, de todo o time. Divido isso com todos.”

Ele já bateu de longe o recorde pessoal por temporada: 15 gols em 2003. “Para mim, é uma boa marca, pois eu era reserva no São Paulo. Por isso, ao chegar aqui, disse que me satisfaria com 35. Mas, agora, vejo que posso ir além. Ainda não tinha pensado que só estou a seis gols do que havia estabelecido.”

Tardelli quer saber sobre os maiores artilheiros da história do Atlético. Acha inalcançáveis os números de Reinaldo e Dario. Mas se anima ao constatar que faltam seis meses na temporada, que, além do Brasileiro, tem ainda a Copa Sul-Americana. Sua média é impressionante, pois, obtida em 31 partidas, dá quase um gol por jogo. “Tenho contrato até 2011 e pretendo cumpri-lo até o fim. Aliás, penso em ficar mais, porque gostei da cidade e da torcida. Posso até fazer história. Seria muito bom fazer parte dessa lista dos 10 maiores artilheiros. Gosto da ideia.”

A busca por um lugar na elite dos goleadores atleticanos será retomada domingo, no duelo entre líder (Atlético) e lanterna (Botafogo) do Brasileiro, no Mineirão. A julgar pelo retrospecto de Tardelli contra o alvinegro carioca, a massa pode esperar mais gols. “Sempre dei sorte contra eles. Na final da Taça Guanabara do ano passado, pelo Flamengo, fiz gol e dei passes para os de Obina. Na final da Taça Rio, fiz mais dois. Espero continuar com essa sorte e ajudar sempre o Galo a subir.” ...

(Estado de Minas, 30/6/2009)

Teletipos internacionais do CBET: Puskás Ferenc Stadion

O Estadio Ferenc Puskas, em Budapeste, ja foi um dos maiores da Europa. Nos tempos aureos da Selecao Hungara, teve capacidade para 104 mil espectadores. Hoje, de nome novo, em homenagem ao maior jogador que o pais ja teve, o local teve a capacidade reduzida para 68 mil pagantes, o que ainda e coisa pra caralho.

Apesar de aparentar um certo abandono, tipo com grades meio enferrujadas, o estadio esta bem ajeitadinho, se compararmos a outros da america do sul, como o centenario ou mesmo o pacaembu.

Quem sempre jogou e sempre joga aqui e o Honved, maior clube do pais e por onde jogaram, alem do ja citado Puskas, outros tres astros do time que deu show na Copa de 1954 (bateram o Brasil com direito a expulsao do Nilton Santos, na famosa Batalha de Berna - a cidade, nao o escriba -, por 4 x 2), Kocsis, Bozsik e Czibor.

Nao consegui entrar no estadio para um tradicional tour, como acontece em Montevideu, no Rio, em buenos aires ou em outros lugares onde o futebol ainda e uma atracao a parte.

Para falar a verdade, acho que fui o primeiro sujeito a visitar o estadio como turista em muito tempo. Nao estava em nenhum guia e, como eu estava com tempo e disposicao, fui a pe (10km) do centro de budapeste ate o mesmo. Foi tranquilo e sossegado, apesar do cansaco. Na entrada do estadio fica um hotel, feito em muro de pedra, bem bacana. La dentro, o porteiro me avisou que nao dava pra visitar o campo, mas me deu as dicas de onde sacar as melhores fotos. E me mostrou os paineis que contam a decadente historia do futebol hungaro.

O futebol aqui e mais velho que andar pra frente. Ou melhor, mais velho que no Brasil. Entre varios campeonatos europeus sub-20 ou sub-17 conquistados pelos magiares (isso parece ser realmente o grando orgulho deles), estao la as duas campanhas de vice-campeonatos mundiais. A primeira derrota foi em 1938, na Franca, quando eles perderam pros entao campeoes Italia. Ha detalhes do jogo, tipo que foi uma partida bem dura e etc.

O vexa de 1954, entao, é narrado de forma muito mais dramatica que a nossa irritante e superdimensionada derrota de 1982 no Sarria. Depois de sapecar 8 x 3 na Alemanha na primeira fase, os hungaros tiveram a manha de abrir 2 x 0 na final contra os germanicos e conseguiram perder. Patetico. Muito pior que o Maracanazzo.

Os paineis contam ainda os ultimos anos de fama do futebol hungaro, como a goleada por 10 x 1 sobre El Salvador na Copa de 1982 e o canto do cisne, com a eliminacao na primeira fase em 1986, com direito a terem levado uma surra de 6 x 0 da Uniao Sovietica. Foi a ultima vez que os magiares foram a um mundial e, pelo visto, assim sera por muito tempo.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

passport para o inferno

"Foi assim que a gente apelidou esse whisky filho da puta. É o que estamos podendo beber. Hoje foi um daqueles dias. Fizemos toda a tour dos bares bebendo esse negócio impiedoso. Quando olhei no relógio do celular, eram 4 da tarde. Levantei decidido da mesa, me despedi dos amigos e voltei pra casa. Pensei: "Tem jogo da seleção, porra." Quando liguei a tv, um pouco antes de capotar tragicamente, os EUA estavam ganhando de dois a zero. Caralho, pensei. E dormi. Só acordei agora às 21h. Fiquei sabendo que o Brasil virou o jogo. Ainda tô meio bêbado, mas tá tudo certo. Tomei um banho e agora vou comer algo decente no Planeta´s. Algo que me faça esquecer aquele torresmo absurdo que até agora reverbera no meu maltratado estômago. Minha meta hoje é ficar longe do Passport. Não é fácil. Vou ter que bancar o Ulisses voltando pra casa. As sereias que façam o seu blues. Eu tenho que ficar longe delas. "
(mario bortolotto)

texto tirado do blog http://atirenodramaturgo.zip.net

Por onde andará o Comendador?

1) Organizando uma excursão pra São Janu.

2) Num terreiro de macumba preparando um trabalho contra os demais cariocas.

3) Fazendo as contas pra subir.

4) Juntando os brinquedos pra deixar o playground.

5) Trabalhando como nunca.

Chororô colorado: habeas corpus preventivo?

Revoltado, o Internacional resolveu colocar a boca no trombone. A diretoria colorada criou um vídeo com lances envolvendo seis jogos do Corinthians, adversário vermelho na final da Copa do Brasil. O objetivo é mostrar ao público que o time paulista é beneficiado pela arbitragem. O material efetivamente apresenta erros visíveis que favoreceram a equipe paulista. Outros lances são discutíveis. O vídeo começa com o pênalti cometido por Fábio Costa sobre Tinga no Campeonato Brasileiro de 2005.

O dossiê foi apresentado à imprensa pelo vice-presidente de futebol do Inter, Fernando Carvalho. Os lances que revoltam o Inter envolvem jogos contra Itumbiara-GO, Atlético-PR, Vasco e o próprio Inter. Estão ali pênaltis inexistentes marcados a favor do Timão, pênaltis contra o Corinthians ignorados pela arbitragem, faltas passíveis de cartão e até lances de impedimento.

O primeiro jogo da final da Copa do Brasil aparece repetidas vezes. O Inter reclama que a bola estava rolando no lance que originou o gol de Ronaldo e diz que houve pênalti em Alecsandro. Faltas envolvendo jogadores como Elias, Chicão, Douglas e Jorge Henrique também aparecem.

O Inter diz com todas as letras que o Corinthians é favorecido pela arbitragem. O clube gaúcho afirma que está fazendo o alerta no início da semana da finalíssima da Copa do Brasil para evitar novos prejuízos.

Oremos!

O fantástico Olé, diário esportivo argentino, ataca novamente com uma capa sensacional.


Matéria da Gazeta Esportiva:

Temendo a seleção brasileira, Argentina começa a rezar





O principal jornal de esportes da Argentina convocou todos os fãs de futebol para orar por um 'milagre' da seleção de Diego Armando Maradona em setembro. Próximos rivais do Brasil, os alvicelestes ficaram ainda mais cautelosos com o clássico sul-americano de setembro depois do tricampeonato verde-amarelo na Copa das Confederações. As preces já começaram.

"Oremos", estampou o diário Olé, adepto a fazer piadas com o futebol brasileiro, especialmente em datas próximas a duelos com a Argentina. Mas a incrível vitória de virada por 3 a 2 da seleção sobre os Estados Unidos gerou respeito no país vizinho.

"O Brasil ganhou a Copa das Confederações. Perdia por 2 a 0, mas teve raça no segundo tempo e deu a volta por cima: 3 a 2 sobre os Estados Unidos", lembrou o periódico. "Não para de ganhar a equipe de Dunga, que é a próxima rival argentina nas Eliminatórias: que Deus nos ajude", imploraram os argentinos.

Brasil e Argentina estarão frente a frente em Buenos Aires em 5 de setembro, pela 15ª rodada das Eliminatórias Sul-americanas. Os alvicelestes, que neste ano amargaram derrotas por 6 a 1 para a Bolívia e por 2 a 0 para o Equador, ocupam a quarta colocação da tabela. Um revés para o futebol pentacampeão mundial pode tirar a equipe da zona de classificação para a Copa.


Já os brasileiros estão em situação muito mais confortável: com 27 pontos, cinco a mais que os argentinos, os representantes nacionais precisam de duas vitórias para carimbar o passaporte novamente com destino à África do Sul.

Episodio de hoje: hate to say I told you so

Quando o Brasil bateu os EUA pela primeira vez nesta Confed Cup, o episodio do dia recebeu o nome de Go home, Yankees. Fato que so se concretizou ontem aa noite aqui em Jozi, tarde no Brasil.

Portanto, podemos afirmar com 'todos os meritos, com todas as justicas' (aspas para Vanucci!!), que o Cbet saiu na frente dos concorrentes e deu em primeira mao que os americanos seriam eliminados pelo Brasil.

Nao sei para quem assistiu em qualquer lugar longe da africa del sur, mas aqui, no estadio, foi muito emocionante.

Voce deve se lembrar de Hillbrow, o bairro barra pesada onde fica o Ellis Park, que a Fifa deu o nome de Coca-Cola Park. Pois bem, Hilbrow estava um santo ontem. Policia para todo lado, meninos jogando bola no meio da rua interditada, vendedores circulando livremente e vendendo bugingangas overpriced. Como a bandeira do Brasil por 80 rands (20 reais) e a dos EUA por 60 rands.






Na entrada do estadio, pela primeira e ultima vez nesta Confed Cup, vieram me oferecer ingressos do mercado negro. La no alto, no assento mais alto do estadio, custava 350 rands. Mas dava para negociar por 200 rands. Credo yo...
As vuvuzelas, famosas vuvuzelas, que a gente sempre teve no Brasil, mas tem o nome de corneta, custavam 30 rands, sete reais e uns quebrados. Pela primeira vez vi branquelo e negao em harmonia. Essa dupla ai fez o seguinte. O branquelo metia a boca no trambone enquanto o negao tentava vender protetores auriculares.







A Fifa anunciou 52 mil torcedores no estadio, mas na verdade, caberia muito mais, porque apesar de dizer que os ingressos estavam esgotados, havia lugar de sobra nas arquibancadas.

Na falta de uma selecao melhor para torcer, os sulafricanos opoiam o Brasil. Nao porque o pais eh bonito, com mulheres gostosas, praias bonitas e um presidente nordestino. Torcem pelo Brasil pela instituicao que representam no futebol. Como tem gente no Brasil que torce pro Boca Junior, na Malasya que torce pro Madrid, e na China, para o United.








Talvez os angolanos ate tenham motivo para torcer pro Brasil por causa da lingua e da invasao brasileira que ocorre no presente momento pelas bandas de Luanda.












As sulafricanas de Cape Town, por exemplo, sao de familia indiana e me disseram que estavam torcendo pro Brasil porque tinha certeza que o Brasil venceria. Era o que elas queriam, torcer para quem vai vencer.






O que dizer deste camarada que homenageou Jacko com a foto dos tempos em que ele ainda era negro e saudavel? A cada gol dos Estados Unidos ele pulava, como Michael fazia em Moonwalk.








Por falar em comportamento, o arqueiro Julio Cesar tem um ritual curioso apos sofrer gols. Havia notado no jogo contra o Egito e ontem eu confirmei. Depois de buscar a pelota no fundo das redes, vai ao lado da trave, da um gole de agua, cospe fora metade do liquido, e limpa as maos com a toalha. Ontem, deu um gole a menos do que no triunfo contra os egiptios.



Outro comportamento curioso eh o de Carlos Caetano. Naquele primeiro jogo contra os USA, ele passou o tempo inteiro gritando, reclamando para Jorginho qualquer coisa inutil. Detalhe que o Brasil vencia por 2 a 0. O mesmo na vitoria contra a Italia.

Mas quando o jogo esta apertado, ele fica ali, com aquela cara de anao zangado, com olhos fundo, e seu traje de passeio breguenight. Passa uma ou outra orientacao, mas nao se exaspera tanto quanto nas pelejas em que o Brazil vence com facilidade.

Quem se exasperou foi essa dupla ai. O rapaz, americano, de touca, ficou p*to com a negona (que esta virando o rosto no momento da foto) porque comemorava efusivamente os golos do Brasil. Meteu o dedo na cara da veia, que revidou com palavras em xhosa e outros clickings.










Brasileiro gosta de aparecer. QUeriam de todo jeito puxar uma ola no estadio, mas nao conseguiram. Esse camarada ai, por exemplo, estava de costas, na ultima vez que o vi, ele fazia contagem regressiva para a ola, que nunca saiu. No momento em que desviei o olhar para o campo, o Brasil marcou o terceiro gol. Eh bem provalve que ele nao tenha visto o lance por causa dessa mania de ser cheerleader.









E o camarada que eu conheci em Pretoria? Brasileiro, torcedor do corinthians. Me mostrou seis videos de suas invasoes nos estadios de futebol do planeta: Noruega, Japao, Espanha, Alemanha, Italia...Ta la no youtube. Ontem, tentou pular, mas caiu de mau jeito no fosso, foi apanhado pela policia e teve que dormir na cadeia. Imagina como deve ser a cadeia aqui, hein?? Um seguranca me disse que ele estava ' in good hands'.




Para terminar minha participacao nesta Copa das Confederacoes, quero agradecer aos amigos pela paciencia em ler (ou pelo menos passar os olhos) neesses escritos e pelos comentarios. Agora eu vou ter que voltar ao mundo real...

Abraco a todos!
(E FORA D***A)

domingo, 28 de junho de 2009

há uma luz que nunca se apaga no Botafogo


Adriano, Brasília te espera de braços e garrafas abertos

Nesta segunda-feira, 29, às 16h, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, o Sindhobar (Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília) apresentará o Projeto Excelência no Atendimento para a Copa do Mundo de 2014.

como um kampeonato karioca em junho

com diguinho no meio de campo e uma faixa diagonal no meio do uniforme,
o fluminense/unimed parecia três times kariocas num só.
thiago neves na fila do check in e o artilheiro fred a justificar a condição de pior ataque do certame.
na área oposta, adriano andando, andando sereno. e o resto do flamengo correndo feito tontos. até o cuca meter o petkovic e, pronto, acabar com essa desarmonia. todo mundo no ritmo do imperador.
"cobro muito de mim dentro de campo", disse adriano, na saída.
"agradeço muito a essa torcida que me dá força", disse neves, de saída.
zero a zero, às vezes, é muito mais do que um mero plakar. é um estado de espírito.

vadão na seleção (ou breve e fria análise sobre o brazil)

bueno, o d*nga. sem me deixar levar pelos arroubos de torcedor - futebol é emossão - também não seria de meu feitio ficar felizinho e começar agora a puxar o saco do d*nga. seria casuísmo.
sendo sério e ponderado devo admitir que esse rapaz, d*nga, teve o culhão de pegar um rabo de foguete.
a seleção brazileira após o turismo na alemanha-2006 era terra arrasada. lembram? jogador querendo bater recorde, treinos com bilheteria em weggins, carlos alberto barreira fingindo profissionalismo, fátima bernardes e o eskambau alado.
nosso amigo ricardo teixeira, que está longe de ser bobo, de imediato compreendeu que algo precisava mudar pra que tudo continuasse como estava. e ele inventou d*nga. inventou do nada. out of the blue, te diria neil young. bronco daquele jeito dele, o ex-capitão do tetra ("fotografa essa p*rra") se sentiu de facto "prestigiado" e foi brincar de rambo três no afeganistão. de volta à seleção.
d*nga não envergou. fez o serviço sujo direitinho. valeu-se das costas quentes com teixeirão e do espírito nacional de caça-às-bruxas para banir cafu e roberto carlos, cousa que o barreira tinha que ter feito bem antes, mas não teve peito. deixou o ronalducho e o ronaldinho para lá, depois do papel a que ambos se prestaram em tão malfadado mundial.
d*nga foi o sujeito que pegou o escovão para limpar a toalete. fez cara feia para o reportariado, culpou a imprensa sempre que pôde. deu umas sacaneadas na rede globo, afinal é o d*nga da seleção. e ele pode. falou grosso com kaká numa atitude óbvia de territorial pissing. mas ali adiante engoliu o retorno de ronaldinho gaúcho sem reclamar. durou pouco. até teixeira e a nike perceberam que o ex-gaúcho tinha se tornado anti-marketing. e tu percebas que d*nga tentou adriano também, só pra mostrar o espirito aberto. e conseguiu pelo menos um par de boas transferências europeias (jonatas para a españa, afonso alves para a inglaterra).
e o mais importante: o pitbull d*nga nunca jamais em circunstância alguma dirigiu um único rosnadinho que fosse para teixeira. se a seleção levava ferro nas eliminatórias, se queimava o filme em amistosos caça-níqueis, se ele nem tinha tempo de preparar a equipe - nada disso era culpa da cbf, eram vícios de um mundo mau (clubeus europeus, conmebol, fifa, calendário desportivo, ano olimpiko, crise aérea, rede hoteleira internacional, etc).
quer saber?
d*nga venceu o mundo mau.
recebeu um time maltrapilho e, três anos depois, nos entrega uma seleção que lidera as eliminatórias, está praticamente classificada pro mundial. venceu a copa américa e a copa das confederações. e ainda deu umas bordoadas divertidas (argentina, portugal, uruguay, italia).
pronto. valeu. serviço completo.
agora está na hora da sintonia fina. está na hora de o time aposentar o sargento para ganhar um treinador. alguém que consiga fazer mais do que ensaiar bolas paradas e escalar uma dupla de volantes burokraticos. alguém que faça robinho render. que deixe ramires e kaká à vontade para comandarem o ritmo da equipe. alguém que ensine daniel alves a ser lateral-esquerdo. alguém que pense em variações táticas e saiba quebrar retrancas.
porque o time em seus setores estanques está pronto ou bem perto disso (boa defesa, meio-campo in progress, ataque vibrante com luis fabiano). agora é a hora de fazer esse bando de gente jogar em harmonia. evitar sobressaltos e antecipar problemas.
o treinador pode ser o muricy. pode ser. como disse o john pothead, e depois o tostão repetiu, quando se fala de seleção brazileira, o técnico é pouco mais do que um detalhe. e agora chegamos à hora dos detalhes, a hora do polimento, a hora dos últimos ajustes.
veja o joel com a afrika do sul. é evidente que tem alguém ali segurando a prancheta. pode ser até o vadão.
obrigado, d*nguinha. obrigado demais. missão cumprida. abraço.


vadão, como não?

the last chance: fora d*nga

só falta um ano pro torneio que realmente vale a pena
ganhar sofrido da afika do sul e dos states foi lindo, pura raça.
e aposentar metade da provecta seleção italiana foi ótimo (para eles).
mas agora o tempo urge e não dá mais pra vacilar:
fora d*nga! urgente!

We salute you

O Presidente tinha razão em tudo! Brasil alucinou, Espanha amarelou, o Dunga não merece as critícas todas, time grande é time grande.

O Lúcio merece

Confesso que torci pro Brasil no segundo tempo e comemorei o segundo e o terceiro gols - este, o da virada, mais efusivamente - do escrete canarinho. A equipe - fora o Robinho, que não jogou nada, e ainda perdeu o que seria o segundo gol (ainda bem que o Luís Fabiano estava lá para conferir) - jogou com muita votande, foi pra cima, pressionou e atacou o segundo tempo inteiro, e fez o que tinha que fazer, virou o jogo.

Como o Berna (hehehe!), também não tenho gostado do Dunga como técnico, embora fosse fã dele como jogador. Já o Lúcio merece muito ter feito o gol do título. Joga muita bola, tem raça de sobra, dá chutão quando é preciso - e, às vezes, quando não é preciso também - e nunca dá botinada. Admiro esse zagueirão humilde que saiu de Brasília. Palmas pra ele.

E vamos engolir o Dunga até a Copa. Rumo ao hexa!

dois gols ianques: um pro d*nga, outro pro j*rginho

com espírito altaneiro e em gesto de fidalguia, deixarei de destacar o fato de ter ficado sozinho na trincheira contra d*nga-j*rginho, esses que comandam um time com três volantes que é capaz de tomar dois gols do todo-poderoso usa em 30 minutos.

prefiro convocar outros companheiros do cbet a retomar o brado de protesto contra a mais incompetente dupla de treinadores que o brazil já ofereceu ao mundo.

em tempo: se é pra ficar de duplinha no banco, prefiro a composição muricy-luxa.

flamengo, bicampeão brazileiro de basquetebol


luxerley

"o palmeiras está aliviado, livre de um técnico caríssimo e metido a besta"
(tostão)

Musa do domingo

Salma Hayek

Episodio de hoje: a verdade sobre Hillbrow


A Folha de S. Paulo descreveu, em uma reportagem publicada ha uma semana, como eh a vida em Hillbrow, o local desta foto ai, onde esta o estadio Ellis Park, palco da final de logo mais, ante os EUA.

Dois reporteres caminharam ao redor do estadio, em ruas pouco movimentadas, de casas baixas e comercio simples. Viram mulheres carregando seus filhos com panos amarrados ao torax, dois amigos conversando despreocupadamente em uma esquina, puxaram papo com um nigeriano e ainda, como eh de se esperar da escola folhasp de jornalismo, mostraram com estatisticas que Hilbrow eh perigoso sim, apesar dos relatos.

Bueno, de volta a Joburg depois de uma semana sabatica na querida Mozambique, foi a minha vez de experimentar Hillbrow. O taxista (sempre ele) me disse, com ar preocupado, que Hilbrow eh o bairro mais perigoso do mundo. Eu ri e ele ficou serio: "Nao ria, man, aqui eh o local das gangues mais assassinas de toda Africa do Sul".

Hillbrow esta na secao dangers & annoyences do Lonely Planet South Africa. O bairro surgiu
como uma ilha de negros em Joburg durante o Apertheid. Sao dezenas de predios residenciais com tijolos marrons, escadas de ferro e grandes janelas de vidro, que servem como varal para roupa, dao um tom mais miseravel aa paisagem. No terreo, as garagens servem como ponto de encontro dos traficantes, que escondem seus negocios ilegais em estabelecimentos que tem na fachada placas de 'estacionamento publico' ou 'lava jato'.


Hip-hop e outros sons estranhos em volume alto nos carros, nas esquinas e nos celulares de negoes que parecem passar o dia inteiro esperando algum turista para fazer uma caixinha. Negros bebados ou drogados (ou doidos mesmo) cambaleam entre a calcada e a pista e avancam sobre os carros.

Ninguem circula em Hillbrow a nao ser os negros residentes. Quem me garantiu foi o tal do taxista. Certamente, os caras da Folha nao foram pra essas bandas. Sim, porque o local mais perto do centro de imprensa eh esse, das fotos que eu fiz.

Conheci, assim que desembarquei em Joziburg, um ingles que tentava antecipar em 20 dias seu retorno para casa. Ele e um amigo vieram para a Africa do SUl para assistir aa confed cup. O amigo, desobedecendo aos conselhos dos nativos, resolveu dar um giro ao redor do Ellis Park e foi assaltado duas vezes num prazo de uma hora.
Sim, duas vezes. Eu so acredito porque conversei com o amigo do cara. A vitima, por sinal, retornou para casa, em UK, aos prantos, no dia seguinte.
Na primeira vez, colocaram a faca a um fio de cabelo de sapo de distancia do seu pescoco e levaram a grana. Na segunda, minutos mais tarde, levaram a camera, celular, relogio, com um trabuco apontado para a tempora e dois caras segurando seus bracos.
O governo local ja tentou dar uma revitalizada em Hillbrow, com a criacao de um belo edificio do governo na regiao, a torre da Telkom, maior companhia de telefone da sudafrica, e um grande predio residencial em formato redondo tambem foi erguido por ali.

O Ellis Park tambem ta por ali. Eh o mais famoso estadio da replukaan de zuud-africkaneisch. A final do Mundial de Rugby, em 1995 foi la, sem aparentes transtornos. O ultimo amistoso entre Brasil e Sudafrica, em 1997, com Mario Zagallo no comando, foi no Ellis (com vitoria por 3 a 2 de virada e direito a aviaozinho do Velho Lobo na comemoracao), no proximo sabado tem um super jogo de rugby entre South Africa e o British Irish Lions...e assim o estadio e o bairro vao convivendo com os foreigners.

Eu quero so ver como eh que vai ser a comemoracao dessa gente bronzeada quando acabar a Copa das Confederacoes esta noite.
Vai ter 'festa brasileira pelas ruas de Hillbrow'?
PS - Como so da para passar de carro pelo estadio, essa foi a melhor foto que consegui tirar.

sábado, 27 de junho de 2009

futebol para iniciados

tão rico espetáculo, tantos gols. para tão poucos.
teve até gol de bicicleta do victor simões no 1 x 4 do fogão ante o goyás.
apenas sete mil pagantes no engenhão. vibrante.

caixinha de surpresas

luxemburgo, demitido.

muricy, demitido.

felipão, cazaquistão.

d*nga, fortalecido.

joel, garantido.

depois dizem que o futebol é previsível.

la vanidad

vandemburgo luxerley ficou sentido porque keirrison vai embora e já nem treina mais.
então luxerley chamou a imprensa pra dizer que o atleta estava "dispensado" do parmêra.
a diretoria do parmêra ficou sentida por luxerley chamar a imprensa pra reclamar desse troço.
então luxerley foi "dispensado" também.
(será que só eu tô sentindo falta de um pedaço dessa história aqui? devo perguntar ao muricy?)

sexta-feira, 26 de junho de 2009

ratatatá

depois do futebol arte e do futebol de resultados...
este é o futebol de alto rendimento:
chegou dia desses e já está de partida.

E ninguém havia pensado nisso antes...

26/06/2009 - 09h48
.
Morumbi é ideal para Parada Gay, diz promotor
.
ROGÉRIO PAGNAN
da Folha de S.Paulo
.
Diante dos casos de violência deste ano, incluindo uma morte e a explosão de uma bomba, a Promotoria de SP quer impedir, já em 2010, a realização da Parada Gay na av. Paulista. Entre os locais para onde o evento pode ser deslocado, por sugestão do Ministério Público, está o estádio do Morumbi, na zona oeste da capital.
.
"Uma alternativa é diluir em outros eventos [menores], para que possa ser utilizado o Sambódromo, o autódromo de Interlagos, até o estádio do Morumbi, que é um local apropriado para manifestações dessa natureza", disse o promotor José Carlos Freitas, responsável pelo inquérito.
.
Para o promotor, as recentes declarações do prefeito Gilberto Kassab (DEM) reforçam a necessidade de mudança. Kassab já afirmou que a Paulista "cada vez mais se mostra inadequada para os eventos", mas que seriam necessário os laudos técnicos.
.
A Promotoria deve discutir o tema com Kassab, usando como base o relatório da PM que diz que "o evento tem atingido proporções que fogem aos padrões de segurança, tranquilidade e salubridade".
.
Segundo o documento, a parada foi de 2.000 participantes, em 1997, para 3,1 milhões neste ano. Foram 324 ocorrências em 2005, contra 691 em 2009. Para Alexandre Santos, presidente da associação que organiza o evento, não há falta de segurança. "Se for assim, tem que tirar também o Réveillon." Ontem, a reportagem tentou ouvir Kassab, mas não obteve resposta.

Michael Jackson, o árbitro, teve morte anunciada

Amigos do árbitro Edílson Soares lamentaram morte do Michael Jackson errado

Diário Lance
Fábio Lima
RIO DE JANEIRO

A morte do cantor Michael Jackson mudou a vida de um outro "Michael Jackson". Nesta quinta-feira, o árbitro Edílson Soares dos Santos, da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, conhecido como Michael Jackson, teve sua morte anunciada.

- Eu estava em um evento como instrutor de arbitragem e alguém anunciou no microfone: "Infelizmente tenho que falar sobre a perda de nosso querido Michael Jackson, um excelente árbitro do Rio de Janeiro". Eu saí correndo e avisei que estava vivo, que na verdade quem tinha morrido era o Michael Jackson americano. Depois ele anunciou que estava feliz por eu estar vivo.
A morte do cantor fez com que Edílson virasse alvo de brincadeiras entre amigos.

- Alguns amigos me ligaram dizendo que a TV estava anunciando minha morte - revelou.

O árbitro nunca entrou em campo vestido como o ícone pop. No entanto, a ideia ainda não morreu.

- Nunca apitei jogo vestido como ele. Mas já passou pela minha cabeça fazer um jogo festivo e acho que daria certo. Imagina um árbitro de luvas brancas, caracterizado como o Michael, apitando um jogo - declarou.

O apelido surgiu de maneira natural.

- Eu era fã de carteirinha desde a época do Jackson Five. Quando eu fui para o Rio de Janeiro e já apitava, alguns árbitros me viram de cabelo enroladinho, com brincos e o apelido pegou. Na época ele estava no Brasil para gravar um clipe. Eu estive no Morro Dona Marta, no Rio de Janeiro para acompanhar as gravações de perto - lembrou.

Edílson Soares garante que não faria feio caso imitasse o artista.

- Eu dançava muito, cansei de dançar. Tenho todos os cds e dvds dele. O Michael fará falta, trata-se de um ícone mundial - encerrou.

"Só depois que o Gabiru estufa a rede..."

(publicado no blog do Diogo Olivier em 2 de junho de 2009)

Todo jornalista que vai ao Beira-Rio, vê Fernando Carvalho dando sopa, sem ninguém por perto, e não inventa uma desculpa qualquer para puxar papo precisa repensar os seus métodos de reportagem. Nos anos 90, era assim no Olímpico com Fábio Koff. Tanto um quanto outro são oráculos da Dupla Gre-Nal. Eles conhecem todos os caminhos de seus clubes e, portanto, transbordam notícias por todos os poros.

Como o jogo de amanhã contra o Coritiba promete ser nervoso, tenso, aquele clima de guerra quase corriqueiro em decisões de mata-mata, fui medir a temperatura com Carvalho. Nisso, os dois encarangados de frio, conversa vai, conversa vem, ouve-se uma barulho de torcida e alguém falando. Passam-se alguns segundos e reconheço o dono da voz. Galvão Bueno. Mas como? Estávamos na porta do vestiário. Ali não há nenhum aparelho de rádio, muito menos televisão. Além do mais, a Globo não transmite jogos às 15h de segunda-feira por um motivo simples: ninguém joga futebol às 15h de segunda-feira.

O Galvão vai aumentando o ritmo da narração, com aquele "ohhhhhh" crescente de torcida ao fundo. À minha frente, Carvalho está impassível, sem mover um músculo sequer do rosto. "Olha o Iarley, vamos nessa..." Só aí me dei conta. Era a narração do gol de Gabiru contra o Barcelona, em Yokohama. Carvalho sorri, põe a mão no bolso esquerdo do casaco e tira o telefone. Vai atender, certo? Errado. Ele deixa seguir o toque do celular, correndo o risco de quem está do outro lado da linha desistir.

— Ah, eu só atendo depois que o Gabiru estufa a rede do Victor Valdés — suspira Carvalho.

Está solucionado um grande mistério do jornalismo gaúcho. É por isso que o presidente campeão do mundo demora tanto a atender o telefone. Carvalho só diz "alô" depois do gol de Gabiru. Como a jogada começa na linha de fundo com o chutão de Índio, demora um tempinho. Quantas vezes desisti de confirmar aquela informação preciosa, certo de que ia me perder na caixa postal, quando na verdade a bola estava ainda raspando na cabeça de Luiz Adriano. Bem, agora já sei. Paciência na hora de ligar para Carvalho: o gol de Gabiru vai sair logo em seguida.

Michael Jackson não morreu!


Michael Jackson está viva! A catarinense Andréia dos Santos, apoiadora da seleção brasileira feminina de futebol, vai bem de saúde. Hoje, ela é conhecida como Maycon, mas já atou com "Michael Jackson" estampado nas costas da camisa amarelinha.

Quem é
Nome: Andréia dos Santos
Data de nascimento: 30/4/1977
Local de nascimento: Lages (SC)
Altura: 1,55 m
Peso: 53 kg
Residência: Campo Grande (MS)
Posição: Meia
Maycon nas Olimpíadas: Sydney 2000; Atenas 2004 (Medalha de prata); Pequim 2008 (medalha de prata)

So falta combinar com o adversario

Deu na Super Radio Maria Mocambique, na quarta-feira que passou:

- O governo de Mocambique recebeu uma resposta positiva do ministerio do turismo brasileiro sobre a possibilidade de a selecao brasileira de futebol fazer sua preparacao para a Copa do Mundo em Mocambique. O ministro do turismo brasileiro pediu, apenas, para que o governo de Mocambique peca autorizacao aa Confederacao Brasileira de Futebol.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

tshabalala & a intervenção divina

pronto. agora sim:
gol de falta, chorado, aos quarenta e três do segundo tempo.
te confesso que eu estava mesmo estranhando esse time do d*nga. estava até dando gosto de ver jogar. mas já passou.
estamos de volta à programação normal.
vencendo e jogando feio. vencendo. é tudo que importa, não?
ontem fiquei frustrado com a boliña que a españa jogou, mas compreendi o salto alto dos kamaradas e achei de bom tom os united states irem à final. foi justus.
como teria sido justus a afrika do sul ter encontrado melhor sorte hoje. ou não?
a gente pode curtir o hino nacional, louvar o pavilhão pátrio, admirar o d*nga como homem e como atleta. a gente pode até se emocionar com o galvão bueno. mas é facto: se teve um time que se superou em campo e foi corajoso no jogo de hoje, esse time não foi o brazil, não.
o time do joel santana e de siphiwe tshabalala (photo) fez grande figura. a afrika do sul prei raite, prei léfiti e prei midiu. soube cercar o time do brazil e anular seus grandes atletas. deu até um calor na retaguarda brazileira durante a primeira metade da segunda etapa. joel santana é um gênio? não. de forma alguma. mas sabe botar um cadeado no portão de kasa.
talvez esteja passada a hora de a gente fazer uma vaquinha e comprar uma prancheta pro d*nga.
porque sorte esse rapaz já tem para umas três encarnações: demorou trinta e seis minutos, hoje, pra mudar qualquer cousa no time, e quando mudou, meteu daniel alves improvisado na lateral-esquerda. uma grande ideia, que já tinha sido ventilada por muita gente boa, mas que d*nga nunka jamais tinha treinado, nem sequer esboçado a possibilidade. agora adivinhe quem fez o gol salvador, hein? hein?
a seleção brazileira deve ser campeã da copa das confederações no domingo. e tem uma grande, grande chance de ser campeã mundial daqui a um ano. a grande dúvida que eu guardo aqui comigo é se tem tantas chances assim por causa do d*nga ou apesar do d*nga.

Brasil x South Africa, end of game

Daniel Alves prestou um desserviço ao futebol.

O mundo não verá Brasil x Espanha.

O que é mais modorrento? Brasil x EUA na final ou África do Sul x Espanha a disputar o terceiro lugar?

Brasil x South Africa, 45 min do segundo tempo

O comentarista com cara de sapo da SporTV solta a pérola: "A África do Sul não pode abaixar a cabeça. Jogou muito bem e valorizou a vitória brasileira".

Nada me irrita mais do que a expressão "valorizar a vitória".

Brasil x South Africa, 43 min do segundo tempo

Gol do Brasil. Que tristeza. Pobre Joel! Pobre África do Sul! O Mandela está chorando pelos cantos!!!

Golzinho de falta aos 42. Pensei que seria de pênalti o nosso tento.

Brasil x South Africa, 18 min do segundo tempo

Começo a ficar com pena de uma possível eliminação dos bravos africanos.

E com preguiça desse time horroroso e covarde do Brasil.

É a hora de torcer contra!

noites geladas da afrika

sorte que este time do joel não tem o torozinho, hein?

O tempo passa, o tempo voa: homenagem a Mariani

Quem já passou pela redação Jornal de Brasília certamente o conhece. E quem acompanha o jornalismo esportivo do DF já ouviu falar dele. Não, o jogador ao lado não se chama Mariani. O motivo de ele estar aí ao lado é Adelmar Gustavo Mariani, cara de ótimo coração, capaz de criar os títulos mais geniais de cadernos esportivos (de cabeça, lembro de três clássicos: "Saturn, a nova base do Galo", "Macaca sobe a serra e belisca" e "Gama: futebol de crustáceo") e que usava terno com tênis vermelho durante coletivas no Palácio do Planalto.

Mariani ficou impressionado com a técnica do inglês Trevor Francis, o primeiro jogador inglês a custar mais de um milhão de libras (cerca de R$ 3,3 milhões), em 1979. E, alguns anos depois, resolveu batizar seu único filho como Trevor Francis Brito Mariani. Por isso, expliquei no post anterior que somente duas pessoas aqui em Brasília teriam a capacidade de reconhecê-lo: Mariani e o xará do boleiro.

A tal transferência milionária se deu entre o Birmingham City, clube que o revelou, e o Nottingham Forest. E a grana investida teve retorno imediato. Na temporada 79/80, Trevor Francis marcou o gol que deu o título da Copa Europeia (atual Champions League) ao seu novo clube, na final contra o Malmö, da Suécia. E, também, participou do bicampeonato na temporada seguinte. Fabio Capello, atual técnico da seleção inglesa, disse que foi o melhor jogador que viu atuar pela Primeira Divisão inglesa.

Pela seleção nacional, fez 52 jogos entre 1976 a 1986. Marcou 12 gols. Jogou a Copa de 1982, mas não sei se esteve no Mundial seguinte.

Depois de vestir as camisas do Birmingham City, Detroit Express, Manchester City, Sampdoria, Atalanta, Glasgow Rangers, Queens Park Rangers e Sheffield Wednesday, Trevor pendurou as chuteiras em 1988. Virou técnico do Birmingham e, depois, cartola do clube. Hoje, com 55 anos, é comentarista do canal Al Jazeera Sports, que transmite o futebol europeu para os países árabes.

Brasil x South Africa, end of first half

0x0. No sufoco.

Cada vez mais tenho a convicção de que este time do Dunga só joga bem os jogos contra grandes adversários.

E repito: meu medo, em 2010, não é perder a final para Itália, Argentina ou Alemanha. É ser eliminado nas oitavas por Noruega, Dinamarca, Nigéria...

Mas vamos ver se no segundo tempo as coisas melhoram.

Brasil x South Africa, 23 min

Que sufoco...

Enfrentaremos a Espanha pelo terceiro lugar?

zico

a espn anuncia a transmissão da temporada 2009/2010 do futebol russo.

Denílson neles!

Campeão do Mundo de 2002, Denílson, aquele que já foi o jogador mais caro da história do futebol brasileiro, desembarcou no Vietnã mês passado. Mas a aventura dele já chegou ao fim.

Às voltas com seguidas lesões, o atacante só conseguiu fazer um jogo no Vietnã e já rescindiu seu contrato com o Hai Phong Cement. Ele só havia conseguido estrear no time após duas rodadas do campeonato, por causa das lesões. Jogou domingo passado na vitória de sua equipe sobre o Hoang Anh Gia Lai, por 3 a 1, e fez um gol. O seu primeiro, único e último tento pelo clube asiático.

Denílson tinha um contrato por desempenho. Teria recebido US$ 12 mil (R$ 23,8 mil) por ter jogado no domingo mais US$ 5 mil (R$ 9,9 mil) pelo gol feito.

Fontes fidedignas revelaram ao CBET que tem clube carioca interessado em Denílson.

No Sul, racismo tem outro nome

O jogo entre Grêmio e Cruzeiro terminou em confusão. O cruzeirense Elicarlos acusou o atacante argentino Maxi López de racismo por chamá-lo de macaco. Dirigentes gremistas defenderam o jogador afirmando que a expressão não é uma ofensa na Argentina. Alegam que o episódio se trata de "conflito cultural".

Em tempo: o Grêmio é aquele time que proibia negros em sua equipe.

Guardem os estojos

"Chega de vaidade no São Paulo!" Essa é a ordem do Ricardinho Gomes.

vuvuzela

estão dizendo que a fúria virou raivinha

grand slam é o eskambau

bastou a maria sharapova perder um único joguinho e pronto: está fora de wimbledon...

que torneiozinho fajuto!

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Bombou na web...

uma forcinha pro joel

sugiro que o brazil entregue o jogo de amanhã pra afrika do sul.
o que vale disputar esse caneko sem graça com os states?
sou muito mais um terceiro lugar contra a españa

on the beach

trinta e cinco jogos sem perder.
nenhum golzinho sofrido na copa das confederações... até today. estoy triste acá.
eis que a españa, na hora agá, volta a negar fuego. showtime dos states de dempsey & altidore
(un abrazo a sergio ramos)
y españa murrió en la playa...

The world is turnin',
I hope it don't turn away,
The world is turnin',
I hope it don't turn away.
All my pictures are fallin'
From the wall where
I placed them yesterday.
The world is turnin',
I hope it don't turn away...”
(neil young)

rubinho

mesmo com piqué, a españa sente falta de marcos senna

sem zebras

tudo encaminhando, na copa das confederações,
para a grande final entre estados unidos e afrika do sul

terça-feira, 23 de junho de 2009

airton, angelim e... lúcio

o zagueiro lúcio, 31 anos, foi mandado embora pelo bayern de munique.
o treinador van gaal chegou agora e não quer saber dele por lá. too old e tal.
ah... caramba... kleber leite.. a hora é agora... lúcio na gávea já!!!

o aleph

"às vezes a gente tem que respeitar a opinião do treinador"
(borges, do são paulo)

Cantando de galo 3 - Digna dos tempos de Telê

O Atlético não poderia viver melhor momento no Campeonato Brasileiro. Com o triunfo sobre o Santos, domingo, na Vila Belmiro, o Galo isolou-se na liderança, com três pontos de frente sobre o vice-líder, Internacional, e é o único invicto. Venceu cinco jogos e empatou dois, um aproveitamento de 80,95%. Tem o ataque mais eficiente, com 17 gols, média de 2,4, e melhor saldo (10).

Nem o mais otimista dos atleticanos imaginava uma campanha tão satisfatória como a atual. E com razão, pois já se vão quase 22 anos da última sequência positiva de sete jogos do alvinegro em Brasileiros.

Foi em 1987, quando o campeonato, então Copa União, era regido por um regulamento bem diferente. Além de começar no segundo semestre, a vitória valia dois pontos. E o Galo iniciou de forma fulminante, massacrando o mesmo Santos, só que em Belo Horizonte. Passadas sete rodadas, a equipe tinha campanha idêntica à de hoje, com o mesmo número de triunfos e igualdades. (Ludymilla Sá - Estado de Minas)

-----------------------------------------------

Perguntar não ofende: Seria o Patético Mineiro o cavalo paraguaio do ano?

pois é chegada a hora da verdade

frustrado com o desempenho dos times do rio neste brazileiro-2009?
decepcionado com o baixo nível técnico do embate entre vaisco e duque de caxias?
sem tesão para ver o fla-flu do próximo domingão?
com saudade dos verdadeiros clássicos kariocas?
fazendo planos para a segundona de 2010?
pois deixe disso e fique feliz... hoje tem vaiscão e flamengo... ao vivo, no sportv, às 19h40...
partida válida pelo kampeonato brazileiro... de showbol!!

Campos da Copa 2014 - Maracatu ou Capibaribe (PE)



Com três pseudos times grandes (Náutico, Santa Cruz e Sport, que juntos têm um questionável título brasileiro) e o mesmo número de estádios particulares (Aflitos, Arruda e Ilha do Retiro), a capital pernambucana construirá uma nova arena para a Copa de 2014.


Os planos para levantar o estádio Maracatu ou Capibaribe (belezura de nomes!) são de que ele consumirá R$ 500 milhões e poderá recepcionar até 46.150 pessoas depois de pronto, em dezembro de 2012.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

O tempo passa, o tempo voa (versão Super Cérebro)

Como os últimos dois (Brolin e Gullit) foram fáceis, vai aí um desafio Super Cérebro. Quem é este senhor?

estado de espírito

depois da saída do muricy, depois de tantos títulos nos últimos anos, a única coisa que peço a ricardo gomes é futebol ofensivo. ataque o tempo todo. de forma irresponsável e desordenada. não quero o hepta-tetra. nem vaga pra libertadores. nem p*rra nenhuma. não preciso de vitórias. quero apenas chutes a gol. jogadas pra frente. algo que não seja o anti-futebol que o time apresentou o ano inteiro de 2009. se puder se livrar de meia dúzia de laranjas podres também seria ótimo. tem jogador demais naquele elenco. volantes demais. centro-avantes demais se trombando no campo.

o brazil que os inspetores da fifa não conheceram

the breaking news do noticiário de calamidades públicas:
"Chuvas alagam Manaus e causam a segunda maior cheia da história. Ao menos 11 bairros localizados na orla do rio Negro estão alagados. Nesses locais, a prefeitura está construindo passarelas de madeira para a circulação da população. Ao todo, 18 mil pessoas foram atingidas pela cheia."
passarelas de madeira para hoje...
um estádio de R$ 400 milhões para 2014.

Se terminasse hoje...

Será o que o Vaxxxxcão consegue voltar à elite do futebol brasileiro? Se terminasse hoje...

Time P J V E D GP GC SG
1° Guarani 19 7 6 1 0 12 5 7
2° Brasiliense 15 7 5 0 2 12 6 6
3° Atlético-GO 13 7 4 1 2 13 12 1
4° América-RN 12 7 4 0 3 9 9 0
5° Vasco 12 7 3 3 1 7 3 4
6° Ponte Preta 11 7 3 2 2 11 6 5
7° Ipatinga 11 7 3 2 2 13 10 3
8° Duque de Caxias 11 7 3 2 2 12 9 3

grandes ídolos do desporto nacional: ana paula de oliveira

o rude esporte bretão.
com todo o respeito ao richarlysson, o futebol sempre foi cousa pra macho.
todo mundo fala bem da seleção brazileira de futebol feminino e suas medalhas de prata. todo mundo é fã da marta e da cristiane.
mas na hora de a pelota rolar, não adianta, quem se encanta com o clássico do futebol feminino nacional entre saad e corinthians? alguém assiste à liga feminina estadunidense de soccer que a espn agora inventou de transmitir em vetê?
no entanto, o tosco futebol brazileiro ganhou um bocado de sensualidade por três ou quatro temporadas.
ana paula de oliveira, a bandeirinha gostosa, iniciou sua carreira de maneira discreta em 2001. apitando jogos da série A-3 do futebol paulista, seja lá o que isso for. em pouco tempo a garota chegou à liga principal.
o argentino carlos tévez era o destaque do brazil em 2005. a fiel torcida corinthiana vibrava a cada investida de carlitos pelos flancos ofensivos.
enquanto todas as outras torcidas olhavam um pouco mais para o lado, a acompanhar o delicioso trotar, as charmosas corridinhas de ana paula próxima à linha lateral. ana paula popstar. a garota de hortolândia virou comentarista da globo na copa.
ela conta que até levou cantada de jogador atrevido na hora de bater eskanteio. mas logo ana paula teve que ouvir palavras menos sedutoras. como qualquer bandeirinha, ela cometeu suas lambanças... anular um golaço de tévez contra o parmêra (quem se importa?), garfar um par de gols do botafogo numa semifinal de copa do brazil contra o figueiras (quem se importa?)... o chororô do fogão foi tamanho que tiveram de afastar a guria.
ana paula aproveitou a geladeira para fazer photos artísticas para conceituada revista masculina. e... bem... esse foi o auge de sua carreira. dali em diante, ela praticamente só apareceu apitando na várzea paulista e levando pau em testes físicos para o quadro de arbitragem.
agora só resta à torcida brazileira acompanhar impotente uns bandeirinhas fajutos que insistem, rodada após rodada, em inventar impedimentos e estragar jogadas de ataque. protegidos que estão pelo mais profundo e implacável anonimato.

sobre a plausibilidade dos maiores sonhos

oh, a seleção brazileira de futebol meteu três gols na pobre itália campeã mundial.
poderia ter sido mais, não fosse a gula lá de uns fominhas durante a segunda etapa.
donde eu pergunto...
o que fazer pro brazil jogar a vida inteira como naqueles primeiros quarenta e cinco minutos do jogo de ontem, hein? será que é possivel? humanamente possivel? desportivamente possivel? estrategicamente possivel? eticamente possivel? não tenho as respostas.
porque seria muito desejável, é muuuito desejável que o futebol usual deste time - ou de qualquer time - possa se assemelhar àquele que foi visto, foi vislumbrado ontem. seria tão belo, o futebol-verdade provando, na prática, como é falha a tendenciosa divisão entre futebol-espetáculo e futebol-resultado.
o enunciado é este: dês espetáculo que ganharás o jogo, ganhes o jogo a dares espetáculo.
o brazil partiu para um abafa sobre a itália. que se revelou tão pobrezinha, com seu esquálido ataque (camoranesi, toni e iaquinta, depois rossi e gilardino), tão pobrezinha que não pôde sequer retribuir a pressão adversária com algumas estocadas em contragolpe.
lia-se-lhe nos olhos de buffon a aflição do baita arqueiro a defender a ciudadela prestes a ser invadida. porque eles, os italianos, bem devem saber como é indigente seu poderio ofensivo. mas certamente não imaginavam que sua própria defesa, tão sólida, poderia se desmanchar no ar em tão pouco tempo.
o desbaratino da retaguarda italiana - a pensar "como se atrevem?" - por alguns momentos me lembrou o desconcerto do time do brazil quando submetido à sanha dos equatorianos, naquela conhecida peleja de funesta lembrança.
porque quando um time tem essa ênfase ofensiva, a faca entre os dentes, diria galvão bueno, e insiste feito doido e parte pra cima e cerca e abafa e não larga... a pelota acaba entrando. acaba entrando. é uma verdade das várzeas da vida que se reproduz em certames da fifa e em joguinhos de winning eleven. quando tu tens tamanha dedicação e cá um bocadinho de talento que nunca nos faltou, as cousas dão certo mesmo dando errado: maicon desceu a bicanca, a bola estourou nas canelas de luis fabiano, que teve a presença de espírito e a habilidade para domar o projétil arredondado e, noutra tentativa, arrematar um tirambaço que buffon jamais conseguiria pegar. nem dois buffons.
sobre o segundo gol, a linha de passe inebriante e vertiginosa, a deixadinha de robinho, nada há a ser dito.
é uma jogada auto-explicativa.
o terceiro gol... ah, dossena. como george foreman contra muhammed ali no zaire. knocked down.
bom poder apresentar nosso melhor futebol diante dos nossos maiores adversários.
o segundo tempo foi o anti-climax. mas estão todos perdoados. e se esta seleção conseguir jogar assim mais algumas vezes, ao longo do ano que resta até a copa do mundo, e continuar a jogar assim em pleno mundial... eu te digo que serei bem feliz com meu amigo d*nga.
como bem o sabia januário de oliveira: é disso que o povo gosta. que ainda dure um pouco mais.

domingo, 21 de junho de 2009

Mãe Dinah

Atlético MG 2009 = Flamengo 2008.

o sangue de um poeta

prendi a respiração quando obina deu um pulo no ar e matou a pelota em seu encefalotórax. a bola deu um leve repicar, enquanto obina dava um passo para trás e lançava todo o peso de seu corpo na ponta de seu pé direito. o movimento perfeito arrematado com o peito do pé imprimindo à pelota a força de um chute mortal. como se obina estivesse muito bem plantado no chão para dar um chute com tamanha força. mas obina estava no ar, estava em movimento, estava em plena cambalhota. mesmo assim o chute saiu forte, retilíneo e exato.
golaço de obina. uma bicicleta perfeita. gol que eto´o assinaria e colocaria no dvd. gol de pelé.
gol que o crápula bandeirinha anulou, riscou da história, riscou da vida de obina num inexistente impedimento. o crápula bandeirinha matou a pauladas, em seu nascedouro, a poesia do futebol.

Episodio de hoje: men at work

Atrasada no seu cronograma de obras, a tatica da Safa (a CBF daqui) para nao levar um puxao de orelhas da Fifa foi organizar esta Confederations Cup nos estadios que ja estavam prontos e precisavam apenas de reformas. Por isso entrou o Loftus, onde o brasil enfrenta a Italia hoje (logo mais, apos capitulo inedito de Vale a Pena Ver de Novo), Bloemfontein (palco da vitoria ante o egipto), Rustenburg e Ellis Park (palco da final). Estadios prontissimos. Ta, pronto. Estadios prontos.

Os demais, que todo mundo ta aguardando, estao em fase final (pelo menos, aparentemente). Contemplado com gentil convite de um amigo jornalista, tive a oportunidade de ir a Nelspruit, cidade 400 ao norte de Joburg/Pretoria para conhecer o novo estadio especial para a World Cup.
Unica praca esportiva desenhada e projetada apenas por sulafricanos (as demais tiveram participacao de chineses, americanos, alemaes...), o estadio de Nelspruit faz alusao aa sua posicao geografica.


Nelspruit eh uma especie de Cuiaba de south africa. Fica coladinha no Kruger Park (que eh mais bem conservado que o Pantanal, diga-se), onde se faz safari. Entao, suas hastes tem formato de girafas (sao 18 girafas que sustentam o 'telhado'), nao havera portoes numerados, mas com nomes dos big five animals que rondam pela regiao: girafa, leopardo, elefante, rinoceronte e leao. Mas como o estadio tem apenas quatro lados, o leao foi alijado da homenagem.






As cadeiras estao sendo colocadas e serao nas cores branca e preta para lembrar a zebra, que tambem eh uma figurinha carimbada de Nelspruit.

Aproximadamente 1,5 mil homens trabalham no estadio, que tem previsao de abertura para setembro. Sua capacidade sera para 45 mil pessoas. A prefeitura local garantiu que cada um dos trabalhadores tera direito a pelo menos um ingresso para ver a Copa no local onde tirou seu sustento.

Agora vem a melhor parte: o estadio, cujo nome eu nao pesquisei, sorry, sera sede de ...QUATRO jogos da copa. Sim, o equivalente a 150 milhoes de reais gastos para quatro jogos. Depois disso, sera a sede do Black Aces, modesto time de futebol da cidade, que acaba de subir para a primeira divisao sudafricana.
Ao flagrar minha conversa com um operario, sobre o estadio, um peao de obra ficou indignado quando descobriu que 1,5 mil pessoas estavam na labuta e o palco da copa ainda nao estava pronto. Em xhosa ou qualquer outra lingua que estrala os dentes, ele disse: ' Com 1,5 mil operarios, esse estadio ja era para ta pronto desde o ano passado'. Com a inocencia de um surafricano prestativo, o proprio cara que me passava as informacoes oficiais sobre O Girafao traduziu a indignacao do pedreiro, meio que constrangido.

Momento Vanucci:

Quem nao se lembra do alerta de Vanucci logo apos o tetracampeonato mundial da Italia, tres anos atras?

" Eh preciso mudar. Mudar...reformular. Mudar tudo e...mudar de vez! Ou mudamos tudo, ou viraremos COMIDA DE LEOES".

Pois bem, se a selecao brasileira nao se cuida, olha o que ela realmente pode virar nas saavaaannahs africaaners...

Bufalos. Eles so andam em bando (o coletivo para bufalos eh o que? Ilha de marajo?) Os leoes sabem que 'eles sao perigosos' e atacam a boca do animal, para evitar um revide. Mas quando um eh abatido, vira um banquete, tambem para hienas e outros felinos...No futebol, seria alguma coisa como a selecao do Mexico ou da Suecia, que sempre dao trabalho, mas nao aguentam o tranco por muito tempo.









Antilopes (ou homossexuais ou v*adinhos): agilidade e impulsao nao sao suficientes para fugir do leao. Numa copa do Mundo, estao mais para Costa Rica, Emirados Arabes, Estados Unidos...













Zebra: ora, a zebra. Quem nao conhece a zebra? Parece um burrinho listrado. Esteve personificada nas ultimas copas do mundo nas selecoes de Turquia, Bulgaria, Coreia do Sul, Croacia... Por ser antidunga convicto, acho que o brasil eh uma zebra. Vai virar comida de leao!










Kuddu: tipicamente sulafricano. Abunda nas savanahs da regiao. Pode pular ate tres metros de altura. Tem todo jeitao de Bafana Bafana. Alguem ja provou um kuddu sulafricano?

Thank you, but no, thank you.









OBS: peco licenca ao presidente, porque na manha de segunda feira embarco para mozambique e talvez nao tenha tempo e espaco para fazer o relato do jogo de logo mais (apos capitulo inedito...). Agradeco pela atencao, prometo retornar em breve.
atenciosamente, db

sábado, 20 de junho de 2009

muito mais que um professor

ainda a respeito de muricy ramalho, do são paulo futebol clube e da evidente são-paulinidade de muricy.
lendo o post de john pothead, me pus a pensar nalgo que já tinha pensado dia desses por conta do escândalo adriano e da fritura pública de cuca. os dirigentes do flamengo parecem achar que geninho e sergio guedes são nomes com envergadura para assumir a gávea neste momento delicado. acho kretino esse pensamento. mas, numa década cheia de momentos delicados como este, percebi como um treinador rubro-negro de verdade tem sido raridade.
os últimos treinadores do mais querido foram...
cuca, caio junior (uma aposta) e joel santana (tem folklore mas não é disso que eu trato aqui). antes, ney franco (uma aposta) e valdemar lemos (uma aposta), que herdou o time in crisis do oswaldo de oliveira. antes, nelsinho baptista e abel braga, que hoje até soam como excelentes nomes diante da ameaça chamada geninho. e antes deles, adivinhe quem era o tecnico... cuca.
antes de cuca, paulocésar gusmão, sob indicação do rubro-negro vandemburgo luxerley.
de modo que o último treinador realmente identificado com o flamengo a comandar aquilo lá foi mario jorge lobo zagalo, durante o já distante kampeonato brazileiro de 2001.
zagalo fez história no botafogo. começou a carreira de jogador profissional no américa do rio. mas foi flamengo por sete temporadas, incluindo o tricampeonato carioca (na época era carioca e não karioca) de 1953-1954-1955. depois foi mais uma vez campeão estadual pelo flamengo, como treinador, em 1968. na última passagem do velho lobo pela gávea, o time foi campeão estadual de 2001, fechando seu tri particular sobre o vaisco da gama.
confesso que não estou aqui escrevendo isto por ser admirador de zagalo como técnico, nem sou entusiasta de seu amor ufanista pela amarelinha e o eskambau. mas sei reconhecer de longe a figura de um vencedor, e respeito profundamente esse velhinho que ele se tornou.
dá uma saudade danada de olhar pro banco do flamengo e ver um zagalo, um carlinhos.

quando éramos reis: o garoto adriano e o velho lobo